PM prende acusado de liderar criminosos na Zona Sul de SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 18 de outubro de 2003 as 11:34, por: cdb

Um velho conhecido de policiais da Zona Sul de São Paulo foi detido por PMs no final da tarde de sexta-feira, num bar do Largo do Macedônia. Desde do ano 2000, Rodnei Bandeira da Silva, de 21 anos, é acusado de ordenar toques de recolher na região e atacar bases comunitárias da PM nos Jardins Santa Teresa e de Pirajussara, há dois meses. Bandeira, acusado de tráfico, era foragido da Justiça e foi reconhecido por policiais que já o haviam prendido em outras oportunidades.

Aos 18 anos, em 21 de novembro de 2000, ele e os comparsas Rodrigo Batista Santana, também de 18, e Francisco Antonio Cesário da Silva, de 24, saíram pelo bairro ordenando que os comerciantes fechassem as portas de seus estabelecimentos por causa da morte do ladrão e traficante Thiago Teles Vasques Aranha, de 18 anos.

Os três também obrigaram os motoristas de dois ônibus da Viação Esmeralda a desembarcar os passageiros para levar parentes, vizinhos e amigos de Vasques ao velório. Santana foi detido à saída do velório, mas Bandeira conseguiu fugir. A mãe dele, Acácia Maria dos Santos Oliveira, de 47 anos, e o irmão Osnei Bandeira da Silva, de 24, foram presos em Cajamar, sob acusação de tráfico de entorpecentes e por porte ilegal de armas.

Ataques conta a PM

Neste ano, Bandeira voltou a ser procurado pelos policiais da zona sul, suspeito de participar dos ataques contra os postos comunitários da PM nos municípios de Embu e Taboão da Serra, com rajadas de metralhadora e granadas. Foram deixadas faixas reivindicando a autoria para o grupo Primeiro Comando da Capital (PCC).

Essa ação, da qual participaram cerca de 15 criminosos, foi uma represália à morte do traficante Sílvio dos Santos Luíz, de 23 anos, ocorrida no dia 16 de agosto. No dia seguinte, um domingo, Bandeira e comparsas ordenaram novo toque de recolher nos Jardins Vazame e Macedônia.