PL, Prona e PSC oficializam apoio a Chinaglia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 as 19:50, por: cdb

O candidato à presidência da Câmara, Arlindo Chinaglia PT-SP), recebeu nesta segunda-feira o apoio de três partidos: PL, Prona e PSC. O petista aguarda para a próxima quarta-feira a adesão formal do PP e PTB.

Entre os 33 votantes, 27 escolheram Chinaglia (PT-SP) e 6 optaram por Aldo Rebelo (PCdoB-SP). O PL e o Prona, com 35 deputados, formarão o PR (Partido da República) e se aliarão na Câmara ao PSC, que deve contar na próxima legislatura com oito ou nove deputados.

– Nosso desafio principal é termos a Câmara dos Deputados respeitada pelo povo brasileiro -, disse Arlindo Chinaglia.

O deputado Inocêncio Oliveira (PL-PE), um dos que apoiava Aldo Rebelo na disputa à
Câmara, disse que votou no comunista, mas que agora trabalhará pela eleição de Chinaglia.

– Vou votar nele, pedir voto para ele, porque sou partidário, e não por interesse de cargo -, disse o parlamentar.

Ao entrar para a reunião, no entanto, Inocência havia confirmado a existência de um acordo pelo qual o PT concederia ao PL o direito de ficar com a quarta secretaria da Mesa Diretora, cargo originalmente destinado ao próprio PT e que controla os apartamentos funcionais e as verbas de moradia aos deputados. A jornalistas, Arlindo Chinaglia negou o acerto, já dado como certo pela bancada do PL.

Aliado do ex-deputado José Dirceu, Chinaglia negou que à frente da Câmara trabalharia pela anistia do ex-ministro forte do governo Lula, cassado no auge do escândalo do mensalão. Chinaglia comentou, porém, que se houver um projeto de iniciativa popular nesse sentido, a tarefa de qualquer presidente da instituição é submeter a proposta ao plenário.

Chinaglia disse ainda não temer recuo do PSDB que lhe declarou apoio semana passada. Alguns integrantes do partido, entre eles o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, querem que a decisão seja revista.