PIB chega a R$ 1,4 trilhão até o terceiro trimestre

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de dezembro de 2005 as 12:13, por: cdb

Os bens e serviços produzidos no país (Produto Interno Bruto-PIB) de julho a setembro deste ano somaram R$ 497,5 bilhões. No mesmo período do ano passado o PIB totalizou R$ 457 bilhões, conforme divulgou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De janeiro a setembro deste ano, o PIB acumulado é de R$ 1,416 trilhão.

No terceiro trimestre deste ano, o consumo das famílias totalizou R$ 271,8 bilhões, contra R$ 248,9 bilhões no mesmo período de 2004. Na Agropecuária o PIB ficou em R$ 37,9 bilhões; o da Indústria, em R$ 180,7 bilhões e o de Serviços, em R$ 250,8 bilhões. Os investimentos representaram R$ 101,7 bilhões, ante R$ 95,5 no terceiro trimestre do ano passado e o consumo do governo somou R$ 93,3 bilhões, contra R$ 82,2 bilhões no mesmo período do ano anterior. Os impostos somaram R$ 52,2 bilhões de julho a setembro deste ano, enquanto no mesmo período do ano passado totalizaram R$ 47,6 bilhões.

A Balança de Bens e Serviços foi superavitária em R$ 24,6 bilhões e a Variação de Estoques ficou em R$ 6,1 bilhões. A taxa de investimento foi de 20,4% do PIB, abaixo da leitura de 20,9% no terceiro trimestre de 2004 – um ano de recuperação econômica -, mas acima dos 17,8% de 2003. A taxa de poupança bruta totalizou 24,3% no terceito trimestre, o segundo maior valor da série histórica iniciada em 1995, ficando atrás apenas do terceiro trimestre de 2004, quando o número foi de 25,4%.

O IBGE acrescentou que a Capacidade de Financiamento do país foi de R$ 13,4 bilhões no terceiro trimestre de 2005, abaixo dos R$ 14,5 bilhões de igual período de 2004.

“Essa queda deve-se, sobretudo, ao aumento do envio líquido de lucros e dividendos para o resto do mundo, resultando na diminuição do saldo externo corrente”, disse o IBGE em comunicado.

Os dados da conta financeira mostraram redução da variação de ativos, que passou de uma aplicação líquida de R$ 23,2 bilhões no terceiro trimestre de 2004 para R$ 9,1 bilhões no mesmo período de 2005. Em relação à variação de passivos, a captação líquida passou de um montante positivo de R$ 8,4 bilhões no ano passado para captação líquida negativa de R$ 4,6 bilhões em 2005. No ano, a Agropecuária somou R$ 114,7 bilhões; a Indústria, R$ 503,0 bilhões e os Serviços, R$ 713,5 bilhões.