PF realizou apreensões significativas só no mês de fevereiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 6 de fevereiro de 2005 as 15:03, por: cdb

Nos primeiros dias de fevereiro as apreensões de mercadorias irregulares, pela Receita Federal, e de drogas, pela Polícia Federal, representaram cifras significativas. No Aeroporto Internacional de Guarulhos, cerca de US$ 1 milhão em equipamentos médicos e produtos eletrônicos, foram apreendidos pela Polícia Federal na última semana, entre outras mercadorias contrabandeadas, procedentes dos Estados Unidos.

A operação foi realizada após 40 dias de investigações feitas pelo Setor de Inteligência da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários. Os agentes deram o flagrante quando a mercadoria era retirada do Terminal de Cargas Nacional da Vasp por um condutor que não portava documentação ou comprovação fiscal dos produtos.

Na área de repressão a drogas, a Polícia Federal prendeu, no mesmo aeroporto, uma cidadã sul-africana que portava cocaina e, em Mato Grosso do Sul, uma pessoa, que transportava 20 quilos do produto. Em Caruaru, Pernambuco três homens foram presos com 22 quilos de maconha e em Guarapuava, no Paraná, foi feita também a apreensão de 18,3 quilos do entorpecente.

No Porto de Manaus a Receita Federall apreendeu mais de 10.400 pares de tênis falsificados, avaliados em aproximadamente R$ 850 mil. A mercadoria vinha da Malasia, com a marca Asics Tiger. A representação da indústria, depois de consultada pela Secretaria da Receita, analisou uma amostra do produto e constatou que era falsificado.

No Porto de Vitória (ES) foram apreendidas R$ 7 milhões em mercadorias. São 70.299 malas, 46.704 frasqueiras, 15.090 maletas tipo executivo, 7.880 mochilas e mais 2.576 itens de reposição, acomodadas em 56 contêineres. As declarações de importação foram registradas em nome de uma trading company que informou ao Fisco estar operando “por conta própria”, o que se revelou falso.

Em Cascavel (PR), a Delegacia da Receita Federal desencadeou operação de apreensão em Salgado Filho, Barracão e Manfrinópolis, na região sudoeste do estado, em empresa do ramo atacadista, responsável pela distribuição de materiais higiênicos, farmacêuticos e alimentícios para a região e outros estados.

A ação foi respaldada por mandado de busca e apreensão expedido pela Justiça e as apreensões foram feitas porque a empresa não apresentou a documentação comprovando a regularidade da importação das mercadorias. Entre os objetos há 4 mil frascos de protetor solar, 25 mil escovas de dentes, 1.300 camisas e jaquetas de origem chinesa, além de alimentos, bebidas e produtos de higiene.