PF prende quadrilha internacional que falsificava dinheiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 20 de março de 2007 as 12:10, por: cdb

Elva Sarracho e Lucenira Araújo foram presas em Taguatinga, cidade próxima a Brasília, com R$ 3,7 mil em notas falsas. O marido de Elva, Cristiano Sarracho, e a filha, Franciele Sarracho, já haviam sido presos no fim de fevereiro pelo mesmo motivo. Segundo a Polícia Federal, eles faziam parte de uma quadrilha internacional de falsificação de dinheiro.

O esquema começava no Paraguai, onde era feita a fabricação. De lá, as cédulas eram levadas para Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, para serem numeradas. Em Ponta Porã, a Polícia Federal prendeu o chefe da quadrilha, Mariano Cabrera, e também Rodrigo Augusto da Costa, encontrado com R$ 592 mil em notas falsas. O destino do dinheiro era Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Goiás.

O Distrito Federal foi uma das unidades da federação onde a quadrilha mais atuou. Desde novembro do ano passado, dez pessoas foram presas no DF vendendo dinheiro falso. Segundo a Polícia Federal, três notas falsificadas eram trocadas por uma verdadeira.

Nos últimos cinco meses, cerca de R$ 700 mil em notas falsas entraram no DF e em Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal ainda não fechou os cálculos sobre o prejuízo causado pelos bandidos, que agiam há dois anos.

– Nós também ficamos surpresos pela quantidade de cédulas falsas que estavam entrando no Distrito Federal. Por isso, decidimos centralizar nas pessoas que adquiriam cédulas falsas com essa organização criminosa no Paraguai, com essas pessoas localizadas, sediadas aqui no DF.
Por essa razão, não temos uma visão completa de toda a distribuição que essa organização criminosa poderia fazer – conta a superintendente regional da Polícia Federal, Valkíria Teixeira.

A Polícia Federal investiga se as notas falsas ainda estão em circulação. Os bandidos vão responder por formação de quadrilha e falsificação de moeda. A pena varia de quatro a 15 anos de prisão.