PF prende quadrilha envolvida com imigração ilegal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 14 de março de 2007 as 10:14, por: cdb

Cinco pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha que conseguia visto de permanência no Brasil para estrangeiros foram presas, pela Polícia Federal, nesta quarta-feira, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. De acordo com a polícia, os libaneses interessados no esquema forjavam casamentos ou assumiam paternidade de filhos de prostitutas para conseguir o visto. 

No operação nomeada ‘Operação Biblos’  foi presso o chefe da quadrilha ligada à falsificação de documentos e imigração ilegal. O libanês naturalizado brasileiro Sowheil Chahdanmownzer, morador de São Gonçalo, será indiciado como responsável pelas falsificações de documentos que naturalizavam como brasileiro ilegalmente qualquer estrangeiro, mesmo que nunca tenham pisado no país.

Pelo serviço, segundo a Polícia Federal, Sowheil cobrava, em média 15 mil dólares. Entre os estrangeiros presos que compraram os documentos estão o egípcio Pierre Geries Labeg e o colombiano Jairo Adolfo Nunes, presos em Niterói. Dois agentes da Polícia Federal também foram presos, sob acusacão de partipação da quadrilha: Marcio Antônio Lopes Gomes e José Francisco C. Ferreira. Um deles, segundo a polícia, possui um avião que está sendo procurado pelos agentes para ser apreendido.

A operação visa o cumprimento de 40 mandados de busca e apreensão, 38 de prisão e 70 difusas vermelhas, que são mandados de prisão internacionais. Cerca de 300 policiais federais participaram da operação.

Ainda de acordo com a polícia, eles também usariam certidões de nascimento falsas de pais brasileiros. Com isso, os libaneses conseguiam a naturalização e o passaporte brasileiro. A investigação durou quatro meses e o esquema já teria beneficiado pelo menos cem libaneses. .