PF pedirá prisão de testemunha que deu depoimento falso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de outubro de 2006 as 16:39, por: cdb

O superintendente regional da Polícia Federal em Mato Grosso, Daniel Lorenz, que investiga o caso do dossiê contra tucanos, disse, nesta sexta-feira, que a PF estuda pedir à Justiça a prisão preventiva de Agnaldo Henrique de Lima, que declarou ter entregue R$ 250 mil a Hamilton Lacerda, ex-coordenador da campanha do senador do PT Aloizio Mercadante ao governo de São Paulo. A história, segundo a PF, é falsa. Lima desapareceu de Varginha, em Minas Gerais, onde mora.

Agnaldo Lima, que se apresenta como funcionário de uma empresa de eventos no sul de Minas, disse, nesta quinta-feira, que seu patrão, Luís Armando Ramos, havia pedido a ele que emprestasse sua conta bancária para receber um depósito. Dias depois, segundo Lima, ambos foram à agência do Bradesco em Pouso Alegre e sacaram os R$ 250 mil.

Em seguida, viajaram para São Paulo e entregaram o dinheiro a um homem, que seria Hamilton Lacerda.

– É tudo furado -, disse o delegado Lorenz. A PF abriu inquérito por falso testemunho contra Lima, que pode pegar pena de 1 ano a 3 de reclusão se condenado.

Antes de depor à Polícia Federal, Lima gravou um vídeo me que conta a história fantasiosa. A PF suspeita que a produção foi feita por Roseli Pantaleão, que seria ligada à executiva do PSDB em Pouso Alegre. A descoberta da farsa provocou irritação na PF, que há três dias estava mobilizada na apuração.