PF indicia sócios da Vicatur

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de outubro de 2006 as 18:37, por: cdb

Os sócios da casa de câmbio Vicatur, do rio de Janeiro, Sirlei da Silva Chaves e Fernando Manoel Ribas Soares, foram indicados pela Polícia Federal nesta quinta-feira. A casa de câmbio era o local por onde passaram boa parte dos dólares (US$ 248 mil) usados na compra do dossiê da máfia das sanguessugas contra políticos do PSDB. A PF os indiciou por falsificação de documentos e por atribuir falsa identidade a terceiros. A pena para o primeiro crime é de dois anos a seis anos de prisão e, para o segundo, um ano a quatro anos.

Em depoimento à PF nesta quarta-feira, os donos da Vicatur confirmaram que pagaram R$ 3 mil para uma pessoa chamada Levi Luis da Silva repassar os CPFs (Cadastros de Pessoas Físicas) de “laranjas” para transferir os dólares do dossiê. “Laranjas” são pessoas utilizadas em transações financeiras para esconder o verdadeiro dono do dinheiro.

A PF descobriu que pelo menos sete pessoas de famílias humildes sacaram esses dólares, de acordo com registro feito no Banco Central. Entretanto, a PF já ouviu algumas essas pessoas, que contaram à polícia que apenas emprestaram os seus dados à Vicatur. A PF já desconfiava disso por conta dos altos valores sacados por esses “laranjas”.

A polícia ainda está à caça da origem dos reais (R$ 1,1 milhão) apreendidos na operação de compra do dossiê. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), ligado ao Ministério da Fazenda, já informou que não encontrou nenhuma operação suspeita nas contas dos envolvidos com o caso. A PF acha que será difícil rastrear esse dinheiro.