Petrobras desiste de oleoduto no Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de abril de 2004 as 18:00, por: cdb

A Petrobras anunciou nesta segunda-feira que desistirá do projeto para construção do oleoduto que seria usado para transportar petróleo da Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, para o estado de São Paulo. A informação foi confirmada pelo presidente da estatal, José Eduardo Dutra. Segundo ele, a decisão foi resultado da falta de um acordo entre a estatal e o governo do Estado do Rio de Janeiro, que que reivindica a construção de uma refinaria.

Em entrevista ao Correio do Brasil, publicada neste fim de semana, o secretário de Energia, Indústria Naval e Petróleo do Rio, Wagner Victer, disse que se não houver refinaria, o Rio terá pelo menos um pólo petroquímico. 

A governadora do Rio, Rosinha Matheus, afirmou por diversas vezes que o projeto para a construção de um oleoduto dificultaria, ou até abortaria, os planos da estatal de construir uma refinaria no Estado.

Com a decisão, ao invés de construir o oleoduto, a Petrobras irá transportar o petróleo por navios e por dutos submarinos. Os navios irão atracar nos terminais de São Sebastião, em São Paulo, e em Angra e Ilha D’Água, no Rio.

Com essa decisão, a estratégia da Petrobras em diversificar o transporte de petróleo da Bacia de Campos foi frustada. Antes, a estatal tinha o projeto de ter 40% do seu petróleo produzido na Bacia de Campos transportado por dutos até 2007. Agora, esse percentual será de 10%.

Mesmo assim, Victer acredita que o Rio não sairá perdendo nas negociações com a estatal, uma vez que Campos é o maior produtor de petróleo do Brasil, de onde saem 83% da produção nacional. Ele ainda acredita na possibilidade de uma refinaria naquela região. O Rio concorre com outros 11 Estados para ter a unidade.

Segundo ele, O Rio produz 83% do petróleo nacional e só refina 12%; São Paulo nada produz e refina 44%. Quando o petróleo acabar, Campos será a Serra Pelada do século 21. A refinaria tem que ser aqui”, afirma, na entrevista abaixo.