Petrobras classifica críticas de FHC de eleitoreiras

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 18 de outubro de 2006 as 12:16, por: cdb

A direção da Petrobras contestou as “declarações político-eleitoreiras sobre o desempenho da Companhia”, em nota distribuída na manhã desta quarta-feira. A companhia afirma ainda que “têm claro propósito de confundir a opinião publica e difundir informações injuriosas e equivocadas”, as declarações registradas nesta terça-feira pelo ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, e recentemente pelo vice-governador de São Paulo, Alberto Goldman, e pelo ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros.
 
“Ao contrario do que insinuam, revelando má fé e desinformação, a Petrobras, cujo acionista controlador é o governo brasileiro, tem alcançado, desde janeiro de 2003, sucessivos recordes, não apenas em relação aos lucros como também nas áreas tecnológica, de refino e exploração e produção. A direção da Petrobras faz questão de citar alguns dos muitos fatos que caracterizam o sucesso e o profissionalismo de seus empregados e de seus executivos:
 
Refino – Pelo segundo ano consecutivo, a Petrobras conquistou recorde de processamento nacional de petróleo.  Ao longo de 2005, as refinarias da Companhia processaram a média de 1 milhão 758 barris diários, utilizando cerca de 94,2% da capacidade instalada. A modernização das refinarias além de possibilitar o processamento do petróleo pesado produzido no Brasil, também permite a oferta de produtos de melhor qualidade. Também pelo segundo ano consecutivo, a Petrobras ganhou o premio como melhor refinador do mundo – o Hart’s World Refining Refiner & Energy Company of the Year .
 
Exploração e produção – A produção de petróleo e Gás Natural no Brasil e Exterior cresceu, desde 2003, até setembro último a uma taxa de 6%, ao ano, sendo uma das maiores taxas de crescimento da indústria petrolífera. Para continuar crescendo, o Plano de Negócios da Petrobras prevê investimentos de US$ 49,3 bilhões nessas atividades, visando chegar a uma produção total, no Brasil,  de 2,9 milhões de barris diários e 3,5 milhões de barris diários incluindo as atividades internacionais. 
 
Auto-suficiencia – A Petrobras constituiu o maior portfólio de exploração de sua história, que garante a auto-suficiência do País, não apenas em 2007 ou 2008, mas para horizonte mais longo, com excelentes perspectivas de resultados positivos na exploração. Nosso portfólio é hoje de 134 blocos exploratórios. O esforço realizado pela Companhia para apropriação de reservas, desde 2003, levou à concepção de uma carteira de mais de 30 projetos de desenvolvimento da produção, envolvendo cerca de 65% dos investimentos totais da companhia no Brasil até 2011, que serão de US$ 75 bilhões.
 
Plataformas – Desde 2003, a Petrobras contratou a construção e colocou em operação cinco plataformas, três das quais estavam paralisadas na gestão anterior.  Com a entrada em operação da P-50, o Brasil tornou-se auto-suficiente em petróleo. Todas as plataformas garantiram entre 60 e 70 por cento de conteúdo nacional. 
 
Lucro – O aumento do lucro líquido da Companhia, de 2004 a 2005, foi de 68,8%. Comparando-se com as principais concorrentes, a Petrobras obteve naquele período o maior crescimento do lucro líquido. Na comparação entre o 4º trimestre de 2004 com o 4º trimestre de 2005, o crescimento foi de 137,9%, também superior ao crescimento do lucro líquido das principais empresas petrolíferas.
 
Ações e ADRs – Os ADRs da Petrobras vêm apresentando desempenho superior às demais empresas petrolíferas e superior ao desempenho do  Amex Oil Index na Bolsa de Nova Iorque, índice que reúne as principais ações de empresas petrolíferas negociadas naquela bolsa. Desde novembro de 2005, os ADRs da Petrobras  são os mais negociados na Bolsa de Nova Iorque. Na Bovespa, a ação da Petrobras é hoje a mais negociada. Os trabalhadores, que ad