Petistas criticam decisão de Lula

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de janeiro de 2003 as 00:57, por: cdb

A decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de viajar nesta sexta-feira para Davos, onde participa do Fórum Econômico Mundial, provocou reações negativas dentro do PT.

“Lula está dando um presente para um cadáver, para um cemitério”, reclama Emir Sader, escritor e professor da UERJ.

Sader faz parte do grupo do PT, reunido em Porto Alegre para o Fórum Social Mundial, que condena a presença do presidente no encontro que reúne empresários e economistas na Suíça.

“É realmente um sentimento ruim saber que ele estará aqui e lá”.

Esgotamento

Apesar de tentar não entrar na polêmica sobre a viagem de Lula, o ex-presidente português Mario Soares, convidado para o evento em Porto Alegre, também critica o papel do Fórum Econômico.

“Este Fórum existe há mais de 30 anos e está esgotado”, afirma.

“Isto porque ele é o veículo máximo do neoliberalismo, e o neoliberalismo como sistema está esgotado porque contribuiu para o empobrecimento do mundo e para a maior divisão entre sul e norte e entre ricos e pobres. E isso nao é nada bom”.

Para o secretário-geral da Presidência da República, Luis Dulci, a polêmica não tem razão de ser.

Na opinião de Dulci, está claro que o presidente não poderia deixar de comparecer a um evento que reúne investidores diante dos quais Lula pretende reiterar o discurso que vai fazer no Fórum Social.

“Pelo menos no governo, todos concordamos que ele não poderia deixar de ir a Davos”, afirma.

Vaia

O governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, que experimentou a primeira vaia da 3ª edição do Fórum Social por ter mandado fechar uma entidade contra o racismo, diz que também não entende a polêmica.

“O presidente Lula vai falar lá o que vai dizer aqui, da importância de termos um mundo mais justo, com os ricos entendendo que as barreiras tarifárias e os subsídios distorcem o mercado e aumentam as desigualdades sociais”, disse o governador.

“O presidente Lula tem que dizer tudo isso, que o mundo não pode ser de tantas diferenças”.

Lula chegaria em Porto Alegre na noite de quinta-feira. Pouco antes de partir para Davos, o presidente vai discursar no Anfiteatro Pôr do Sol. Em seguida, embarca para a Suíça, onde chega no sábado.