Pesquisa do BC mostra inflação com tendência de alta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 27 de março de 2006 as 09:45, por: cdb

O comportamento dos preços está um pouco acima das expectativas dos especialistas de mercado no mês de março, de acordo com pesquisa que o Banco Central fez na última sexta-feira sobre tendências dos principais indicadores da economia.

Os economistas do setor privado acreditam que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que serve de parâmetro para as correções oficiais, será mais alto que a projeção de 0,30% feita no início do mês, e que já tinha sido corrigida para 0,40% na semana passada. Os prognósticos agora apontam para IPCA de 0,46%.

Como resultado, a perspectiva de inflação acumulada no ano subiu de 4,55% para 4,57% invertendo uma tendência de queda – pequena, mas gradativa – que vinha se verificando há dois meses. Com isso, a projeção de IPCA anual se distancia da meta de 4,50% fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

A consulta do BC também projeta aumento de 4,27% para 4,30% no Índice de Preços ao Consumidor, medido pela Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (IPC-Fipe) da Universidade de São Paulo. Ressalte-se, porém, que esse indicador se refere a preços apenas da capital paulista, enquanto o IPCXA tem caráter nacional.

Apesar desse “suspiro” altista de inflação, a pesquisa do BC indica que o IPCA dos próximos 12 meses tende a cair de 4,37% para 4,32%. Abaixo, portanto, da previsão de aumento acumulado dos preços administrados, ou monitorados por contrato (combustíveis, energia elétrica, telefonia e outros) que foi mantida em linha com a meta de 4,50%.

Vale destacar que, ao contrário, os preços no atacado estão em queda há sete semanas. O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) prevê redução de 3,95% para 3,83% no ano, enquanto o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) estima queda de 4% para 3,94