Pesquisa do BC aponta redução da inflação

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 5 de junho de 2006 as 10:16, por: cdb

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que serve de parâmetro para as correções oficiais, encerrará o ano abaixo da meta de 4,5%, conforme pesquisa realizada todas as sextas-feiras com uma centena de analistas do mercado financeiro sobre as tendências dos principais indicadores da economia.

De acordo com o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central com o resultado da pesquisa, o IPCA de 2006 deve ser de 4,31%. Isso sinaliza para correções menores de preços, depois de três semanas com a previsão de 4,32%.

O boletim mostra, ainda, que a inflação de maio,  que será divulgada na próxima quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  estará em torno de 0,17%. Menor, portanto, que a projeção anterior, de 0,20%. Revela, também, que a previsão de IPCA para junho cai de 0,24% para 0,23%.

Os demais indicadores de preços pesquisados indicam que a inflação perde fôlego; tanto no varejo quanto no atacado. Mas, contrariando essas expectativas, a previsão média para o IPCA dos próximos 12 meses indica alta de 4,20% para 4,21% na comparação semanal.

O Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (IPC-Fipe), da Universidade de São Paulo (USP), aponta queda ainda mais significativa, de 3,58% para 3,48%, nos preços da capital paulista.

Já os preços administrados por contrato, ou monitorados (combustíveis, energia elétrica, telefonia, educação, medicamentos e transporte urbano, dentre outros) mantêm, há 11 semanas, a projeção de reajustes acumulados de 4,5% neste ano e em 2007.

As projeções de preços no atacado pararam de subir depois de três semanas em alta. O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI)  repete a projeção de 3,17%, da semana passada, enquanto o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) caiu de 3,13% para 3,12%.