Peru e Reino Unido vencem Festival Cinema de Miami

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 12 de fevereiro de 2005 as 20:17, por: cdb

O longa-metragem peruano <i>Dias de Santiago</i> ganhou neste sábado o prêmio de melhor filme latino-americano no XXII Festival Internacional de Cinema de Miami, que também premiou o britânico <i>A Way of Life</i>, enquanto o brasileiro <i>Estamira</i>, de Marcos Prado, obteve o prêmio por cinematografia.

<i>Dias de Santiago</i>, dirigido por Josué Méndez, relata a história de um militar que tenta se adaptar à vida civil nos pobres subúrbios de Lima.

A produção espanhola <i>Los nombres de Alicia</i>, de Pilar Gutiérrez, obteve menção honrosa, enquanto os atores Mirella Pascual (<i>Whisky</i>- Uruguai) e Damián Azocar (<i>Crónicas</i>, Equador) receberam os prêmios de melhor atriz e melhor ator, respectivamente.

Na seção documentários internacionais e latino-americanos o grande prêmio do júri foi para o colombiano <i>La Sierra</i>, dirigido por Margarita Martínez e Scott Dalton.

Os Estados Unidos ganharam o prêmio especial dedicado a documentários que estimulam a consciência social com o filme <i>The Untold Story of Emmett Louis Till</i>, de Keith Beauchamp, enquanto <i>Estamira</i>, de Marcos Prado, conquistou o prêmio por cinematografia.

O documentário americano, também escolhido pelo público como o mais popular do festival, relata a história de um rapaz negro de 14 anos que em 1955 foi brutalmente assassinado nos EUA por supostamente assobiar para uma mulher branca. Seu crime jamais foi resolvido.

Na categoria de longas-metragens, três produções empataram na preferência do público: a sul-africana <i>Red Dust</i>, a tailandesa <i>Overture</i> e a alemã <i>The Edukators</i>.

O prêmio concedido pela Federação Internacional de Críticos de Cinema no festival de Miami foi para o longa-metragem do Reino Unido <i>A Way of Life</i>, dirigido por Amma Asante.

A atriz espanhola Marisa Paredes, ex-presidente da Academia de Cinema da Espanha, foi a apresentadora da entrega de prêmios do festival, no qual foram exibidos 117 filmes de 47 países, com uma importante representação latino-americana.

A diretora do festival, Nicole Guillemet, comemorou o sucesso de “público e bilheteria” da presente edição e informou a EFE que, de acordo com dados provisórios, foram mais de 60 mil espectadores este ano. Isso significa uma bilheteria de cerca de 700 mil dólares, um novo recorde na história do festival, de acordo com a diretora.

Para o presidente da Universidade Miami Dade College, Eduardo Padrón, o sucesso deste ano significa um compromisso “ainda maior com a comunidade de Miami que respondeu à altura da oferta cultural do festival, que foi tão diversa como a cidade e tão ampla como o espírito humano”.

– O salto qualitativo e quantitativo deste ano, onde me dizem que vendemos mais de 90% das entradas e ainda falta um dia, nos obriga a superar nosso compromisso com nossa comunidade para a (23ª) edição do próximo ano. – disse Padrón.

O XXII Festival Internacional de Cinema de Miami, que começou em 4 de fevereiro, termina amanhã com a exibição do filme espanhol <i>Inconscientes</i>, dirigido por Joaquín Oristrell.