Peru declara emergência após ataques do Sendero Luminoso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 22 de dezembro de 2005 as 09:27, por: cdb

O governo peruano declarou estado de emergência em uma área de cultivo de coca perto dos Andes onde guerrilheiros do Sendero Luminoso mataram oito policiais na terça-feira. Segundo o presidente Alejandro Toledo, a medida, que coloca as Forças Armadas no comando da segurança da região, vai ajudar no combate aos guerrilheiros. Toledo descreveu os rebeldes como covardes a serviço de traficantes de drogas. A emboscada que resultou na morte dos oito policiais foi mais um de uma série de ataques contra a polícia e o Exército na região. Os incidentes estariam relacionados aos recentes esforços para destruir plantações de coca.

A área onde os policiais morreram fica em uma zona remota da selva, conhecida por ser ocupada por rebeldes. O porta-voz da polícia do Peru, Luís Vicarra, disse que o Sendero Luminoso deixou sua marca, uma bandeira vermelha, no carro preso na emboscada. O Sendero Luminoso tem feito uma campanha guerrilheira contra o Estado peruano há décadas, e matou 70 mil pessoas desde os anos 1980. No entanto, no início da década de 1990, o grupo foi considerado vencido e desarticulado. Na década passada, a violência provocada pelo grupo foi amplamente reduzida. Os ataques dos últimos meses, no entanto, indicam certa recuperação da sua capacidade de ação. O principal líder do movimento, Abimael Guzmán, foi preso em 1992 em uma operação de grande destaque. Atualmente Guzmán está sendo julgado novamente por seu papel na insurgência depois da anulação de sua condenação em um processo militar secreto.