Perdão de dívidas deve dominar último dia de debates do G-7

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 5 de fevereiro de 2005 as 09:54, por: cdb

O perdão da dívida de países em desenvolvimento está no topo da agenda do segundo e último dia de reunião de ministros das Finanças dos sete países mais industrializados do mundo – o G-7 – em Londres.

O ministro inglês, Gordon Brown, tenta convencer os outros países a aceitaram um plano par a aliviara dívida de vários países.

Brown propõe oferecer ajuda de aproximadamente US$ 10 bilhões (cerca de US$ 26 milhões) por ano durante mais de uma década.

Os Estados Unidos propõem substituir um sistema de empréstimos por outro de doações.

Convidados

A reunião do G-7 tem como convidados neste ano ministros da Fazenda do Brasil, China, Índia, Rússia e África do Sul.

O Reino Unido fez da diminuição da pobreza mundial um tema central para o ano em que ocupa a presidência do G-8, que reúne os países do G-7 e a Rússia.

Num jantar na sexta-feira à noite, o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, apoiou o plano de Brown.

Para viabilizar o projeto, o ministro fala sobre a criação de uma agência financiadora internacional, que ajudaria na criação de um plano Marshall para o mundo em desenvolvimento.

Plano Marshall foi o nome dado ao esquema de ajuda americana aos países destruídos pela Segunda Guerra Mundial.