Pentágono se prepara para convocar reservistas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 6 de dezembro de 2002 as 00:01, por: cdb

O Pentágono está se preparando para uma grande convocação de reservistas, diante de uma possível guerra contra o Iraque. Esta medida colocaria os EUA em um novo nível de prontidão para uma ação militar, segundo informaram as autoridades do Departamento de Defesa na quarta-feira.

A amplitude e o timing das mobilizações dependem da resposta do Iraque para a resolução da ONU, que pede o desarmamento de Bagdá, e do ritmo das inspeções internacionais que estão sendo realizadas no Iraque.

Nesta que deve ser apenas a primeira convocação, nos próximos dias o Pentágono deve acionar cerca de 10,000 reservistas, principalmente entre unidades da polícia militar, que atuariam em funções de segurança nos EUA e no exterior, afirmaram as autoridades. Eles se juntariam aos 50,755 reservistas que foram mobilizados para a defesa dos EUA após 11 de setembro e para a guerra no Afeganistão.

Mas se o presidente Bush ordenar um ataque contra o Iraque, o Pentágono planeja convocar o mesmo número de reservistas chamados durante a Guerra do Golfo em 1991, quando aproximadamente 265,000 membros da Guarda Nacional foram acionados. Nenhuma decisão final havia sido tomada sobre estas mobilizações mais amplas, afirmaram as autoridades.

“Acionar as reservas é um passo significativo, pois afetará todas as comunidades dos EUA e evidenciará que o presidente está falando sério”, afirmou uma alta autoridade militar.

Com os representantes do Pentágono considerando a questão das reservas, o vice-secretário de Defesa Paul D. Wolfowitz pediu que as nações da Otan contribuíssem com forças em uma campanha militar americana liderada pelos EUA para derrubar o presidente Saddam Hussein. Em outro esforço para construir uma ampla coalizão internacional, na quarta-feira a Casa Branca convidou o líder do partido islâmico que governa a Turquia para um encontro com o presidente Bush.

O Pentágono e a Casa Branca estão tratando a questão dos reservistas com extremo cuidado. O timing da mobilização é perigoso, afirmaram os militares.

As autoridades de defesa querem mobilizar os reservistas o mais cedo possível, o que permitiria aos comandantes uma ação rápida caso Bush ordene um ataque contra o Iraque. Eles também querem manter a política do Pentágono de convocar os reservistas 30 dias antes da mobilização, permitindo que os soldados resolvam assuntos pessoais e que seus empregadores encontrem substitutos.