Pelo menos dez mísseis atingem o Kuwait

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 21 de março de 2003 as 00:03, por: cdb

Pelo menos dez mísseis do tipo Scud foram disparados pelas forças iraquianas contra o Kuwait, de acordo com autoridades militares britânicas e kuwaitianas. O governo do Iraque, no entanto, nega ser responsável pelo ataque.

De acordo com o ministro da Defesa do Kuwait, alguns dos mísseis foram destruídos pelos sistemas de interceptação Patriot, e nenhum deles carregava agentes químicos ou biológicos.

Fontes militares na região afirmam que pelo menos dois mísseis tinham como alvo uma refinaria de petróleo kuwaitiana.

Não há indicações de vítimas no ataque, mas um dos mísseis teria caído a cerca de 300 metros de um acampamento militar americano.

Violação

De acordo com Paul Reynolds, analista da BBC, uma confirmação de que o Iraque disparou os mísseis Scud contra o Kuwait seria uma prova de que o governo iraquiano violou a resolução da ONU que proíbe o Iraque de utilizar mísseis com alcance superior a 150 quilômetros.

Milhares de soldados dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha já cruzaram a fronteira norte do Kuwait, entrando em território iraquiano, dando início à campanha militar terrestre.

Quando as sirenes de ataque aéreo são acionadas, as tropas americanas e britânicas eram alertadas para possíveis ataques com gás e vestiam máscaras e roupas protetoras às pressas.

Tim Franks, repórter da BBC no norte do Iraque, afirma que os soldados gritaram “gás, gás, gás” após ouvirem as explosões.

Após o ataque, o acampamento Coyote, que está servindo de base para milhares de soldados britânicos no norte do Kuwait, foi colocado sob alerta químico – que também foi estendido à Cidade do Kuwait, capital do país.

Alerta

Um porta-voz das tropas britânicas disse que o motivo do alerta foi a suspeita de que os mísseis poderiam conter armas químicas.

Na Cidade do Kuwait, quando os alarmes soaram, a população local buscou refúgio em abrigos e algumas pessoas também utilizaram trajes de proteção.

Os soldados no norte do Kuwait e os moradores da Cidade do Kuwait foram aconselhados a usar máscaras durante todo o dia.

De acordo com Tim Franks, blusas de manga comprida também são obrigatórias para “o caso de precisarmos colocar as pesadas roupas especiais contra ataques químicos, biológicos ou nucleares”.

Mísseis

Os governos de Estados Unidos e Grã-Bretanha afirmam que o Iraque possui diversos mísseis Scud para atacar seus inimigos.

Em 1991, durante a Guerra do Golfo, os mísseis foram disparados contra Arábia Saudita e Israel, e os ataques chegaram a provocar algumas mortes.

Os Estados Unidos afirmam que os mísseis de interceptação Patriot, que só conseguiram derrubar metade dos Scuds lançados pelo Iraque em 1991, foram aperfeiçoados nos últimos anos.

O maior temor dos soldados liderados pelas tropas americanas é que o Iraque dispare Scuds com ogivas de armas químicas ou biológicas.