PBH promove cidadania através da tecnologia e da internet

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 25 de janeiro de 2012 as 18:15, por: cdb

O BH Digital, programa de inclusão digital da Prefeitura de Belo Horizonte, coordenado pela Prodabel, já conecta em média 130 mil usuários à internet em toda a cidade. Só em 2011 foram implantados 64 novos Centros de Inclusão Digital, totalizando 335 espaços com mobiliário e microcomputadores conectados à internet banda larga. A iniciativa, mais do que democratizar o acesso às tecnologias da informação, tem o objetivo de melhorar as condições de vida dos usuários e comunidades com a ajuda da tecnologia.

Há três anos, Priscila Alves da Cunha, de 20 anos, participou da 8ª Oficina de Inclusão Digital, em Venda Nova. A experiência lhe serviu de oportunidade para a conquista do seu primeiro emprego. Hoje, ela é monitora de informática do Centro de Integração ao Menor e Adolescente, o Ciame Flamengo. “Foi um tempo de muita aprendizagem. Hoje ensino crianças e adolescentes a darem os primeiros passos no mundo virtual, o que é muito gratificante”, afirma.
Os 335 Centros de Inclusão Digital estão espalhados por diversos pontos da capital, como em bibliotecas públicas, centros culturais e assistenciais, associações comunitárias, escolas municipais, ONGs e entidades religiosas, atendendo prioritariamente ao público que apresenta maior grau de vulnerabilidade social.

Os centros são espaços sem fins lucrativos, de acesso público e gratuito às tecnologias da informação e comunicação, com computadores conectados à internet, disponíveis para diversos usos. O acesso é livre, com assistência de monitores. Eles oferecem cursos e atividades de promoção do desenvolvimento local e servem aos moradores das comunidades onde se encontram como um espaço de integração, cultura e lazer.

Cursos

Além dos centros de inclusão, o cidadão pode participar das atividades ofertadas pelo Centro de Recondicionamento de Computadores (rua José Clemente Pereira, 440, bairro Ipiranga), onde acontecem os cursos de manutenção de computadores, instalação de software, gestão de telecentro, redes de conexão, oficinas ambientais de resíduos sólidos e até cursos de DJs. No ano passado, foram capacitados 1.500 novos alunos.

Diretora de Inclusão Digital da Prodabel, Silvana Veloso destacou que o programa BH Digital traz vários benefícios para a população. “Com o programa, as tecnologias da informação e da comunicação vêm sendo utilizadas com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos e da cidade”, constata.

Em todos os postos de inclusão digital de Belo Horizonte, o cidadão tem acesso à internet e aos programas oferecidos pelo Libertas, software livre desenvolvido pela Prodabel. A premissa está em sintonia com o Serviço de Atendimento ao Cidadão, que incentiva o uso de softwares livres e possui toda a plataforma de serviços para inclusão digital.

A Prodabel é uma das 63 instituições selecionadas pelo Governo Federal para receber equipamentos, mobiliários e links para conexão de internet, além de bolsa de custeio para a contratação de novos monitores para os telecentros. Confira a lista completa de endereços dos Centros de Inclusão Digital de Belo Horizonte no site www.pbh.gov.br/prodabel.

Hotspots

A Prefeitura de Belo Horizonte também oferece o serviço de hotspot em 41 pontos da cidade, com acesso gratuito à internet. Eles estão espalhados pela cidade e permitem que os usuários se conectem à web por meio de laptops, computadores de mão ou celular com tecnologia wi-fi. O acesso é livre nas páginas da PBH e por até duas horas em qualquer outro site. Até o momento, mais de 37 mil pessoas já se cadastraram e utilizaram o serviço.

Outro fator de inclusão digital em Belo Horizonte é a Unidade Móvel da Prefeitura, estruturada em uma carreta equipada com duas salas de aula. O veículo circula nos bairros de Belo Horizonte, oferece cursos de informática básica e disponibiliza o acesso à internet para as pessoas da comunidade local.