Participação das Organizações Globo no jornal “Lance” está com dias contados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 2 de outubro de 2001 as 09:21, por: cdb

As Organizações Globo, dentro em breve, devem deixar de ser acionistas do jornal “Lance”. A insatisfação com o veículo dedicado à mídia desportiva teria aumentado após a mudança de comando, o aporte de capital e as melhorias técnicas no Jornal dos Sports. A direção do “Lance” não teria dado importância a esse possível incremento da concorrência e, anteriormente, já teria se recusado a fazer uma parceria com o Globo na internet para redução de custos.

Luiz Eduardo Vasconcelos, principal executivo da Infoglobo, e Merval Pereira, responsável pela Mira (mídia impressa e rádios), procurados pelo CORREIO DO BRASIL, não quiseram falar sobre esse assunto. Luiz Eduardo e Walter Mattos são amigos desde a infância e este fato foi muito importante para que a Globopar se dispusesse a ser sócia minoritária no Lance (coisa nunca antes ocorrida na área de mídia) com uma participação entre 18% a 25% do capital inicial de US$ 30 milhões.

Além disso, a presença das Organizações Globo foi fundamental para que o Banco Bozano Simonsen, o Banco Icatu e um grupo argentino também aceitassem entrar no negócio.

O jornal não cumpriu as metas orçamentárias. Seus contínuos prejuízos obrigaram os acionistas a fazer sucessivos novos aportes de caixa e a insatisfação com o estilo administrativo de Walter Mattos Jr. foi aumentando no Conselho de Administração, especialmente da parte das Organizações Globo que, há algum tempo, teriam chegado a um ultimato: ou Walter deixaria da Presidência ou a Globopar sairia da sociedade. Os bancos formaram a turma do deixa-disso e conseguiram uma trégua que, ao que tudo indica, termina com a retirada total da Globo deste empreendimento.