Parreira: resultado foi injusto

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 15 de dezembro de 2002 as 23:31, por: cdb

Apesar de conformado com a perda do título brasileiro para o Santos, o técnico do Corinthians, Carlos Alberto Parreira, acha que o resultado da decisão não foi justo.

O time santista, que podia perder por até um gol de diferença para ser campeão, venceu por 3 a 2 e conquistou o primeiro título do Campeonato Brasileiro em sua história.

“O resultado não foi justo pelo que o time criou. Quando eles fizeram 1 a 0, ficaram quase insuperáveis, mas eu sonhei com o título quando fizemos os dois gols. Cheguei a pensar que faríamos o terceiro gol.”, disse o treinador.

Segundo Parreira, o título foi decidido na primeira partida, quando o Santos venceu por 2 a 0, com um gol de Renato aos 44min do segundo tempo.

“O Santos não ganhou hoje. Ganhou no domingo passado. Perdemos o jogo anterior porque não jogamos com convicção necessária que um time campeão precisa ter”, afirmou.

O treinador corintiano ainda destacou dois jogadores do Santos. “Hoje tive de arriscar e jogamos de forma briosa, mas os espaços apareceram e o Robinho, em uma tarde estrelada, decidiu. Mas não foi só ele. O Fábio Costa, lá atrás, pegou tudo.”

Apesar de achar que o Corinthians merecia um resultado melhor neste último jogo, Parreira reconheceu o trabalho do Santos. “O título está em boas mãos e o Santos mereceu. O Santos foi regular na primeira fase, mas cresceu no mata-mata”, lembrou.

O time santista classificou-se em oitavo lugar e jogou sempre em desvantagem. Em seus seis jogos, contra São Paulo, Grêmio e Corinthians, a equipe da Vila Belmiro venceu cinco e perdeu apenas uma, para o tricolor gaúcho.

Segundo Parreira, o mais difícil não seria fazer dois gols no Santos, como o Corinthians acabou fazendo. “Não é tão difícil fazer dois gols. Difícil é não levar nenhum”, explicou.

Parreira, porém, mostrou-se feliz com a campanha do Corinthians. “Foi uma partida brilhante. O Corinthians está saindo de cabeça erguida. Estou satisfeito porque não é fácil chegar a uma decisão de Campeonato Brasileiro. Eu demorei 11 anos para chegar de novo”, terminou.