Paraná x Fogão em clima de decisão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 6 de novembro de 2002 as 21:27, por: cdb

Botafogo e Paraná Clube disputam uma partida decisiva na luta contra o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro, na noite desta quinta-feira, no estádio Pinheirão, em Curitiba. Com 22 pontos ganhos, o Alvinegro ocupa a última colocação na tabela, enquanto o time paranaense tem 23 pontos e está na 23ª colocação.

O temor de disputar a segunda divisão em oito meses com turno e returno, uma novidade no Brasil, levou os dois técnicos a guardarem a sete chaves a escalação das equipes. Os dois times serão divulgados momentos antes da bola rolar no gramado do Pinheirão.

No Botafogo, o desespero é tanto que cerca de 30 membros de uma torcida organizada invadiram o treino desta terça-feira para reclamar da campanha do time. Morteiros, caixas de bonecas e grande quantidade de milho – por causa de Odvan, que chamou os companheiros de “pipoqueiros” – foram usados pelos torcedores. “Time de boneca, não honra a cueca”, berravam.

Mas o técnico Ivo Wortmann tem outros problemas para contornar. Sem contar com os zagueiros Odvan, suspenso, e Sandro, contundido, o treinador sequer adiantou qual o esquema que usará na partida. Normalmente, o Botafogo atua no 3-5-2, mas os desfalques podem fazer com que o time jogue no 4-4-2.

A única boa notícia no Alvinegro esta semana foi a recuperação do atacante Ademílson, artilheiro do time na competição com sete gols. O jogador machucou o joelho direito na derrota para o Palmeiras por 2 x 1, mas treinou na manhã desta quarta-feira e deve ir para o jogo.

Preocupado com as jogadas aéreas do time paranaense, Wortmann pediu total atenção a sua defesa para esse detalhe. “Tomamos gols de cabeça contra Flamengo e contra Fluminense. Temos que marcar o jogador e não a bola”, disparou.

No Paraná, o técnico Caio Júnior também está escondendo a escalação do Paraná, podendo até colocar em campo três atacantes. “Queremos ver a formação do adversário. Com os desfalques na zaga é possível que altere o esquema de jogo”, prevê. Se optar por um time mais ofensivo, Valdir será escalado ao lado de Maurílio e Márcio, no lugar do zagueiro Roberto.

Sobre a motivação de sua equipe, o técnico garante que a goleada por 4 x 0 sofrida para o Goiás, domingo, não alterou o ânimo dos jogadores. “Já foi absorvida. Foi numa circunstância atípica. Ficamos com um jogador a menos em dois jogos seguidos, ainda no primeiro tempo. O desgaste no primeiro, contra o Juventude, já foi grande, e no segundo, maior ainda, pelo forte calor em Goiânia”, afirmou.

Apesar da disputa ser pelo rebaixamento, a diretoria do Paraná espera ter casa cheia. Por isso, abaixou o preço do ingresso para R$ 5 e fará sorteio de prêmios para os que comprarem antecipado. “O torcedor tem que fazer sua parte como fizeram contra o Juventude, foram fundamentais”, lembrou o capitão Maurílio.

PARANÁ CLUBE x BOTAFOGO

Data: 7/10/2002 (quinta-feira)
Local: estádio do Pinheirão, em Curitiba
Horário: 20h30min
Juiz: Antônio Pereira da Silva (Fifa-GO)
TV: Sportv, ao vivo

Paraná Clube
Marcos; Roberto (Valdir), Cristiano e Juliano; Cris, Sidney, Émerson, Alexandre e Fabinho; Maurílio e Márcio
Técnico: Caio Júnior

Botafogo
Carlos Germano; Bruno, Cléberson (Allan), Gilmar e Léo Inácio; Carlos Alberto, Galeano, Márcio Gomes e Esquerdinha (Reinaldo); Lúcio e Ademílson
Técnico: Ivo Wortmann