Paraná começa segunda etapa da vacinação contra febre aftosa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 25 de outubro de 2006 as 11:08, por: cdb

A segunda etapa da vacinação contra febre aftosa no Paraná começa no dia 1º de novembro e vai até o dia 20. Segundo o secretário da Agricultura, Newton Pohl Ribas, como a meta é vacinar todos os bovinos e bubalinos (búfalos) do estado, é importante a participação dos criadores.

– A imunização do rebanho é um passo importante para que o estado fique protegido da ameaça do vírus da febre aftosa. O governo do estado faz a sua parte ao levar as informações sobre a campanha até os criadores e tomar medidas para que a campanha seja bem-sucedida e atinja seu objetivo -, afirmou.

O diretor do Departamento de Fiscalização da Secretaria da Agricultura, Felisberto Baptista, alertou que o criador que não comprovar a vacinação até o dia 30 de novembro poderá receber uma multa que, atualmente, é de R$ 76,45 por cabeça não-vacinada.

A campanha será lançada oficialmente na Fazenda Modelo do Instituto Agronômico do Paraná, em Ponta Grossa. Simultaneamente, haverá atos de mobilização em todos os Núcleos Regionais da Secretaria da Agricultura. Esses eventos paralelos servirão para reforçar a importância de vacinar todos animais.

Durante os últimos 12 meses o Paraná foi considerado área com febre aftosa, condição que só mudou no último dia 19, depois de um comunicado do Ministério da Agricultura. Para isso houve inúmeros procedimentos nas fazendas consideradas suspeitas e rigoroso controle sanitário.

No período em que esteve proibida a circulação de animais em todo o território nacional e suspensas as exportações da carne paranaense, o prejuízo decorrente das restrições na comercialização ficou próximo de R$ 640 milhões, conforme avaliação do Sindicato das Carnes do Paraná (Sindicarnes).

Para que o estado seja reconhecido pela comunidade internacional como área livre de aftosa com vacinação é necessário o comunicado da Organização Internacional de Epizootias (OIE), responsável pela saúde animal em todo o mundo.

Em sua última visita ao Paraná, o ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, disse que a decisão deverá ser conhecida no mês de dezembro, quando está prevista uma reunião técnica da OIE.