Para Maria Rita Kehl, governo de São Paulo é prova de que dinheiro não traz progresso

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012 as 08:01, por: cdb

Para Maria Rita Kehl, governo de São Paulo é prova de que dinheiro não traz progresso

Em evento que protestou contra a reintegração de posse do Pinheirinho, psicanalista apontou que o estado “riquíssimo” sofre com cada vez mais obscurantismo

Por: Virginia Toledo, Rede Brasil Atual

Publicado em 17/02/2012, 09:50

Última atualização às 09:59

Tweet

São Paulo – No evento que discutiu as ações do Estado e da polícia no Pinheirinho, a psicanalista Maria Rita Kehl condenou a repressão policial ocorrida na reintegração de posse do terreno em São José dos Campos e considerou que no Brasil a propriedade privada é mais sagrada do que a vida humana. “Acho que esse desenvolvimento no Brasil, feito sem muito cuidado, começa a resultar em ações truculentas que tentam impedir o progresso. Progresso com muitas aspas. Ou seja, impedir a acumulação de dinheiro”, pontuou a psicanalista.

Também durante o evento, o jurista Fábio Konder Comparato sugeriu mudanças à legislação brasileira considerando que os juízes que emitirem mandado de reintegração de posse sejam responsabilizados caso haja abuso policial de alguma natureza. 

Maria Rita relacionou a atuação da polícia com a repressão policial praticada durante a ditadura militar, ressaltando que, guardadas as devidas diferenças, a polícia hoje em dia mata muito mais que no período militar. “O estado de São Paulo e seu governo eleito são o maior exemplo de que dinheiro não é progresso. É um estado riquíssimo e seu dinheiro mais tem trazido obscurantismo, como casos do Pinheirinho, da cracolândia e do projeto da Nova Luz”, avaliou.