Para instalação de cabo submarino, África precisa de 1,5 bi de euros

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de março de 2003 as 12:54, por: cdb

Ministrro moçambicano, Pascoal Mocumbi, discursando na cerimônia de abertura disse que a África precisa estar interligada para superar os problemas de atraso no desenvolvimento econômico que afetam o continente.

O projeto de cabo submarino segundo, não é recente e devia ter sido concluído em 2002, mas não aconteceu devido à falta de financiamentos.

Segundo um documento da conferência, o cabo ligaria 22 países africanos e quatros deles seriam países membros da Comunidade para o Desenvolvimento da Africa Austral (SADC).

A capacidade de operação da SADC, segundo o vice-ministro moçambicano dos Transportes e Comunicacoes é de 3 telefones por 100 habitantes. “Em Moçambique a situação é mais dramática onde temos 0,05 telefone para cada 100 habitantes”, disse.

Segundo o ministro moçambicano só atingirá a média da SADC nos próximos quatro anos, em 2007.

Devido a isso, Pascoal Mocumbi, chefe do governo moçambicano, disse só poder “reverter os problemas de atraso econômico apostando nas novas tecnologias de informação”.

Segundo Mocumbi, os países africanos estão excluídos no que se refere ao acesso às novas tecnologias de informação.

“Um indicativo dessa exclusão é o chamado vácuo digital, que separa os países industrializados dos países em desenvolvimento e que faz com que, dos mais de 544 milhões de pessoas com acesso à internet em todo o mundo, apenas pouco mais de 4 milhoes (cerca de 1%) estejam no continente africano”, observou Mocumbi.

Para Mocumbi, “esta realidade é muito dura e injusta”, disse, mas chamou atenção especialmente aos governos e homens de negócios para fazerem de tudo para reverter a situação.

“Cabe a nós mudar radicalmente a situação”, destacou Mocumbi.