Para escritor, as ditaduras da América Latina vão chegar ao fim

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 1 de outubro de 2003 as 04:04, por: cdb

O escritor Mario Vargas Llosa declarou na última terça-feira que não há razões para o pessimismo sobre a sorte da democracia na América Latina, ‘apesar da existência de governos como os da Venezuela de Cuba’.

Para Llosa, o presidente venezuelano Hugo Chávez não deve permanecer no poder por mais muito tempo.
 
– Há uma mobilização muito grande contra o regime, que vai impedir que ele se converta em uma ditadura –  declarou.

O escritor disse, também, que a ditadura de Cuba não deve ser motivo de orgulho para os cubanos, e que ela também não resistirá ao próprio Fidel Castro.

O escritor, ex-candidato à presidência do Peru e naturalizado na Espanha, disse ainda que a volta ao poder do Partido Revolucionário Institucional (PRI) seria um retrocesso para o México. Ele espera que os mexicanos não sejam ‘masoquistas’ a ponto de eleger o partido à presidência, daqui há três anos.

Os comentários de Llosa foram feitos durante um seminário sobre uma nova visão para a América Latina, em Washington. O escritor falou em nome da Fundação Internacional Liberdade, que ele mesmo fundou.