Para a China, governo dos EUA é ‘arrogante’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 6 de outubro de 2003 as 02:22, por: cdb

A China qualificou o Governo dos Estados Unidos de ‘arrogante’ e carregado de ‘preconceitos’ em resposta a um relatório do Congresso americano sobre a situação dos direitos humanos no país asiático.

No documento, os EUA pedem a visita de um investigador das Nações Unidas especializado em torturas e destaca que entre 1998 e 2000 mais de 300.000 chineses foram detidos por um período superior ao permitido pela lei.

– Este documento demonstra apenas arrogância e preconceitos – disse em Pequim o porta-voz do Ministério chinês dos Assuntos Exteriores em declarações publicadas, na última segunda-feira, na imprensa local.

Embora o relatório americano, elaborado anualmente, desqualifique as restrições religiosas e de liberdade de expressão na China, também reconhece os avanços na reforma legal, base para uma maior liberdade no futuro.

Em sua resposta ao documento, Kong Quan não criticou nenhum ponto concretamente e acusou Washington, de forma geral, de utilizar seus próprios padrões sobre direitos humanos para humilhar Pequim.

– É um fato óbvio para todos que a situação dos direitos humanos na China e seu sistema legal estão no melhor momento para garantir um desenvolvimento continuado – prosseguiu.

O informe americano destaca ainda a ‘tíbia’ resposta do Executivo presidido por Hu Jintao à crise da Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars), que matou 350 pessoas somente na China.
No último ano, o Escritório de Informação do Governo chinês publicou um duro relatório sobre a violação dos direitos humanos nos EUA, criticando o país por seu alto grau de violência social.