Paquistão diz que Iraque precisa de mais tempo para se desarmar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de março de 2003 as 11:30, por: cdb

O Paquistão, país-membro do Conselho de Segurança (CS) da ONU (Organização das Nações Unidas), disse nesta segunda-feira que o Iraque estava implementando uma resolução determinando seu desarmamento e que a comunidade internacional deveria dar mais tempo para os iraquianos.

Questionado sobre se os iraquianos estavam implementando a Resolução 1441, que exige a eliminação das armas de destruição em massa, Aziz Ahmad Khan, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse: “Segundo o relatório dos inspetores, eles estão.”

Milhares de paquistaneses realizaram nos últimos dias passeatas em todo o país contra uma guerra no Iraque. Autoridades do partido governista disseram que o país se absteria na votação sobre o projeto de resolução que autoriza o uso da força.

Mir Zafarullah Khan Jamali, primeiro-ministro do Paquistão (país de maioria muçulmana), disse na semana passada que seria difícil para uma nação islâmica dar apoio a uma guerra contra o Iraque.

Segundo Khan, os inspetores de armas da ONU deveriam continuar com seu trabalho. Nesta segunda-feira, Mohammed El Baradei, chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), afirmou ter sido aconselhado pelos EUA a retirar seus funcionários do país árabe.

A Alemanha fechou sua embaixada em Bagdá (capital iraquiana), a Rússia pediu que seus cidadãos deixassem o Iraque e os EUA retiraram vários de seus diplomatas do Kuait, de Israel e da Síria.

Khan disse que o embaixador paquistanês no Iraque havia sido autorizado a tomar por si só uma decisão a respeito de deixar ou não o país.

O presidente norte-americano, George W. Bush, disse neste domingo que a ONU tinha mais um dia para chegar a um acordo sobre uma solução diplomática para a crise.