Paquistaneses se manifestam contra a guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de março de 2003 as 15:48, por: cdb

Centenas de milhares de pessoas convocadas pelo grupo fundamentalista islâmico Aliança dos Partidos Religiosos do Paquistão protestaram neste domingo, na cidade de Rawalpindi, região metropolitana de Islamabad, contra a guerra no Iraque, que seria lidarada pelos Estados Unidos.

Os participantes da denominada “marcha do milhão”, que lotaram a principal avenida de Rawalpindi e várias ruas próximas, gritaram palavras de ordem religiosas e contra os EUA e o Reino Unido, todas reproduzidas nos cartazes levados pelos manifestantes.

Dezenas de pessoas saíram às ruas fantasiadas de George W.Bush, o presidente dos EUA, e de Tony Blair, o primeiro-ministro do Reino Unido. Além disso, bandeiras dos dois países foram queimadas pelos manifestantes, que exigiram do Governo de Islamabad um posicionamento claro no Conselho de Segurança da ONU contra uma guerra ao Iraque.

O presidente da Aliança dos Partidos Religiosos, Qazi Husain Ahmed, afirmou que “cinco milhões de pessoas participaram da ‘marcha do milhão'”.

Ahmed lembrou a postura de oposição demonstrada pelo Parlamento da Turquia contra os EUA e pediu mais uma vez que as câmaras legislativas paquistanesas e o Governo do presidente Pervez Musharraf “se abstenham de apoiar os EUA ou qualquer outro país que queira destruir a paz”.

O presidente da Aliança dos Partidos Religiosos também ressaltou que o povo paquistanês “não permitirá que nosso solo seja utilizado pelas forças do mal (EUA) para massacrar nossos irmãos iraquianos”.

Durante as horas de duração do protesto, todas as estradas de acesso ao centro de Rawalpidi permaneceram fechadas e o tráfego de veículos dentro da cidade se tornou impraticável.

As autoridades paquistanesas adotaram medidas especiais de segurança para evitar episódios de violência, que não foram notificados durante a manifestação.