Paquistanês confessa ter decapitado jornalistas e planejado 11/09

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 15 de março de 2007 as 12:49, por: cdb

Khalid Sheikh Mohammed, um suposto membro da Al Qaeda, afirmou ter decapitado o jornalista dos EUA Daniel Pearl, revelou a transcrição, divulgada nesta quinta-feira, de um interrogatório realizado na prisão norte-americana da baía de Guantánamo (Cuba).

– Com minha abençoada mão direita, eu decapitei o judeu norte-americano Daniel Pearl – afirmou Mohammed por meio de um representante pessoal, segundo a transcrição divulgada pelo Pentágono.

Pearl foi sequestrado e morto no Paquistão em 2002. Mohammed vem sendo apontado há muito tempo como um dos principais responsáveis pelo crime.

11 de Setembro

Mohammed também assumiu, no interrogatório realizado pela CIA, a responsabilidade pelos ataques de 11 de setembro de 2001 e outros grandes atentados.

– Eu fui responsável pela operação de 11 de setembro, de A a Z. Eu fui o diretor operacional de Osama Bin Laden para organizar, planejar, dar sequência e executar a operação de 11 de setembro – disse Mohammed, falando por meio de um representante pessoal, segundo a transcrição do interrogatório.

Paquistanês, Mohammed assumiu a culpa pelo ataque de 1993 ao World Trade Center, além do bombardeio a uma casa noturna em Bali, na Indonésia, e uma tentativa de derrubar dois aviões norte-americanos.

O extremista islâmico também tinha planos de explodir o Big Ben e o aeroporto de Heathrow, em Londres, a Sears Tower, em Chicago, o Empire State e a Bolsa de Valores de Nova York. Mohammed esteve em Foz do Iguaçu, no Paraná, na década de 90, criando uma rede de financiamento para organizações extremistas islãmicas.

Mohammed está entre os 14 prisioneiros identificados pelas autoridades dos EUA como sendo “de alto valor” de suspeita de terrorismo e foi transferido de prisões secretas da CIA no exterior para Guantánamo no ano passado. Ele foi preso no Paquistão em março de 2003 e entregue aos Estados Unidos.