Papa reza por vítimas do ‘atentado cruel’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 13 de novembro de 2003 as 15:31, por: cdb

O papa João Paulo II rezou pelas vítimas do “atentado cruel” desta quarta-feira no Iraque, que custou a vida de 19 italianos, em sua maioria soldados e membros das forças policiais, e de nove iraquianos.

Um sacristão leu uma pregação durante a missa presidida pelo Pontífice em memória dos cardeais e bispos mortos neste ano, entre eles o religioso venezuelano Ignacio Antonio Velasco García, arcebispo de Caracas.

Na pregação, pediu-se a Deus “saúde aos feridos e consolo aos familiares e amigos” das vítimas, e que “se converta os corações” daqueles que agem com violência.

Quatro suicidas a bordo de dois veículos carregados de explosivos realizaram ontem um atentado contra o quartel das forças policiais em Nassíria, no sul do Iraque, provocando a maior tragédia sangrenta desde o fim da guerra no país.

A missa ocorrida nesta manhã em São Pedro do Vaticano foi presidida por João Paulo II e celebrada pelo cardeal Joseph Ratzinger, o mais velho membro do colégio cardinalício.

Antes de começar, o Papa, que apareceu de forma discreta, beijou o altar e deu a benção a todos.

João Paulo II não mostrou hoje muitas dificuldades para falar e leu por inteiro a homilia que, de todo modo, era composta por apenas dois parágrafos.

O papa lembrou os nomes de todos os religiosos mortos neste ano: Hans Hermann Groer, Gerald Carter, Aurelio Sabattani, Francesco Colasuonno, Ignacio Antonio Velasco García, Corrado Ursi, Maurice Michael Otunga e o patriarca Raphael Bidawid, convidado a rezar por eles.