Papa reconhece milagre atribuído à madre Teresa de Calcutá

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 20 de dezembro de 2002 as 11:38, por: cdb

O papa João Paulo II deixou madre Teresa de Calcutá mais perto da santidade ao anunciar, nesta sexta-feira, que reconhece um milagre atribuído à religiosa, que dedicou sua vida aos pobres.

O Vaticano disse que a obra da freira, no século passado, a transformou em “um emblema mundial da caridade cristã” e que um “vasto movimento” foi inspirado em seu exemplo para dar apoio aos mais marginalizados na sociedade.

O reconhecimento do milagre abre o caminho para uma cerimônia de beatificação, que deve ser realizada no primeiro semestre de 2003.

Um segundo milagre deixaria madre Teresa em condições de ser declarada santa pela Igreja Católica.

Como sinal de admiração pela dedicação da freira aos destituídos, o papa encurtou o tradicional período de cinco anos de espera para dar início aos procedimentos que podem levar à sua canonização.

Madre Teresa morreu em 1997, aos 87 anos.

O milagre atribuído à religiosa envolve uma jovem indiana, com tumor no estômago, que se curou depois que um retrato de madre Teresa foi colocado sobre seu abdômen, segundo os relatores.

Uma comissão do Vaticano endossou o milagre recentemente, e este foi formalmente reconhecido pelo papa nesta sexta-feira, durante uma cerimônia solene no Palácio Apostólico.

Nascida Agnes Gonxha Bojaxhiu, em 26 de agosto de 1910, em Skopje, na Macedônia, madre Teresa fundou em 1949 a ordem das Missionárias da Caridade, na Índia.

De estatura pequena e frágil fisicamente, a religiosa dedicou-se, desde então, a amparar os pobres e os doentes na cidade indiana de Calcutá, mesmo durante a sua velhice.

Em 1979, ela ganhou o prêmio Nobel da Paz, em reconhecimento por seu trabalho.

Desde o início de seu pontificado, há 24 anos, João Paulo II já elevou à santidade mais de 460 pessoas.