Papa pede purificação das consciências para que a paz prevaleça

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de março de 2003 as 13:11, por: cdb

João Paulo II aproveitou a Quaresma cristã deste domingo, e fez um pedido pela purificação das consciências para que no Iraque prevaleça a paz, a qual dedicará a semana de exercícios espirituais que começa nesta tarde.

Durante a oração dominical do Ângelus, o Papa voltou a falar da crise iraquiana e do conflito palestino-israelense e lançou uma mensagem de esperança no homem e em sua capacidade para enfrentar e vencer em sua luta interna do Bem contra o Mal.

“No atual contexto internacional se torna mais forte a necessidade de purificar a consciência e converter o coração para a verdadeira paz”, disse o Pontífice diante das milhares de pessoas reunidas na praça de São Pedro do Vaticano.

Com esse objetivo, acrescentou, é “eloqüente a imagem de Cristo que desmascara e vence as mentiras de Satanás com a força da verdade, moderada na Palavra de Deus”.

João Paulo II lembrou aos católicos que em tempo de Quaresma estão convocados a seguir Cristo no deserto, “para enfrentar e vencer com Ele o espírito do mal, numa luta interna… na qual se manifestam suas intenções e suas ações”.

“Só purificando a consciência – assinalou – se prepara a via da justiça e da paz, seja no plano pessoal ou no âmbito social”.

O Papa disse ainda que no interior de cada pessoa “ressoa a voz de Deus e aquela insidiosa do maligno, que tenta enganar o homem seduzindo-o com a perspectiva de falsos bens, mas a oração humilde e confiante, reforçada pelo jejum, permitem superar os testes mais duros”.

O Pontífice se recolherá a partir desta tarde, até o próximo sábado, na oração e no silêncio em exercícios espirituais nos quais disse que terá especialmente presentes, junto às necessidades da Igreja, “a paz no Iraque e na Terra Santa”.

Os exercícios espirituais do Papa e de seus mais estreitos colaboradores da Cúria Romana começarão na capela Mãe Redentora do Palácio Apostólico do Vaticano.

As meditações recorrentes serão propostas este ano pelo arcebispo de Loreto, Angelo Comastri, a partir do tema “Deus é amor, compartilhemos desta bela notícia”.