Papa: “Guerra nunca mais”

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de março de 2003 as 10:49, por: cdb

O papa João Paulo II fez neste domingo um apelo a Bagdá e à ONU (Organização das Nações Unidas) para que seja evitada uma guerra entre Estados Unidos e aliados ao Iraque. Durante missa na Basílica de São Pedro, o sumo pontífice disse: ”Sobrevivi à Segunda Guerra Mundial e, por isso, tenho o dever de afirmar: guerra nunca mais!”

Ele afirmou que ”os líderes políticos em Bagdá têm a obrigação de colaborar completamente com a comunidade internacional para eliminar qualquer motivo para um ataque armado”. Em um de seus apelos mais contundentes para que a crise iraquiana seja resolvida pacificamente, o papa alertou para as ”conseqüências enormes” que a guerra poderia ter para o povo do Iraque. ”A eles [dirigentes iraquianos] eu dirijo meu apelo direto: o destino de seus compatriotas deve ser sempre a prioridade”.

Depois, ele dirigiu seu pedido à comunidade internacional: ”Mas eu também gostaria de lembrar aos países-membros da ONU (Organização das Nações Unidas), especialmente àqueles que formam o Conselho de Segurança, que o uso da força representa o último recurso”, frisou o papa.

“É por isso que, levando em consideração as graves conseqüências que uma operação militar internacional podem trazer ao povo do Iraque e o extremismo que pode resultar de um conflito, eu digo a todos: ainda há tempo para negociar, ainda há espaço para a paz”. ”Nunca é tarde para o entendimento mútuo e para a negociação”, finalizou.

O enviado do papa ao Iraque, cardeal Pio Laghi, falou que a cúpula em Açores é um erro. ”Três países estão se encontrando em Açores, apenas três, e isso é um erro”. A declaração foi publicada pelo jornal italiano ”Corriere della Sera”.

Laghi, enviado pelo papa a Washington no início do mês para pedir ao presidente George W. Bush que evite a guerra contra o Iraque, encorajou os três países a trabalharem para preservar a paz, ao invés de preparar a guerra.