Papa faz visita histórica ao campo de Auschwitz

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 28 de maio de 2006 as 19:51, por: cdb

O papa Bento XVI visitou o campo de Auschwitz, neste domingo, na condição de “filho da Alemanha”. Lá, ele se encontrou com sobreviventes, rezou junto a um paredão de execuções e à cela da fome, onde morreram parte das 1,5 milhão de vítimas. O papa, de 79 anos, passou sob a mensagem exibida no portão de entrada, Arbeit macht frei (o trabalho liberta), para um giro pelo principal campo de Auschwitz, o complexo a serviço da “Solução Final” de Adolf Hitler para acabar com os judeus da Europa.

Expressão solene, entre as construções de tijolos, o papa orou e acendeu uma vela no Muro dos Mortos, local de execuções, e cumprimentou 32 sobreviventes que, enfileirados, usavam cachecóis com as faixas brancas e azuis do uniforme dos prisioneiros. Muitos sobreviventes poloneses católicos beijaram o anel papal. Quando Bento XVI encontrou o sobrevivente alemão judeu Henryk Mandelbaum, ele o beijou nos dois lados da face.

Na cela da fome, onde um padre polonês morreu depois de se voluntariar para salvar a vida de um homem de família, o papa afirmou em latim:

– São Maximiliano Kolbe, rezai por nós.

O seu antecessor, João Paulo II, tornou Kolbe santo em 1982.