Palocci corre o risco de ser preso se não aparecer para depor

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de abril de 2006 as 13:19, por: cdb

Ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci passou a ser o principal suspeito da quebra de sigilo do caseiro Francenildo Santos Costa e corre o risco de ter a sua prisão preventiva decretada, caso não compareça ao depoimento marcado para esta quarta-feira, na sede da Polícia Federal. A Assessoria de Imprensa da Polícia Federal confirmou, nesta segunda-feira, que o secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça, Daniel Goldberg, e o chefe de gabinete do Ministério da Justiça, Cláudio Alencar, foram voluntariamente à sede da PFpara prestar depoimento contra o ex-ministro.

Segundo assessoria, apenas Daniel Goldberg foi chamado à casa de Palocci, mas, como não dominava assuntos da Polícia Federal, pediu a Cláudio Alencar que o acompanhasse. Os dois afirmaram ao delegado Rodrigo Carneiro Gomes que no dia 16 de março estiveram na casa do então ministro da Fazenda e conversaram sobre dois assuntos. O primeiro foi a possibilidade de fazer com que a PF passasse a comandar as investigações sobre as denúncias de corrupção na Prefeitura de Ribeirão Preto.

O segundo assunto era se a PF poderia instaurar investigação contra o caseiro Francenildo Costa. Os depoentes afirmaram que Palocci não mostrou os extratos bancários do caseiro, mas lhes disse que tinha informação de que havia dinheiro na conta de Francenildo incompatível com a renda dele.

Sobre o primeiro assunto, os depoentes teriam respondido a Palocci que iriam estudar um instrumento jurídico para levar as investigações de Ribeirão Preto pata o Supremo Tribunal Federal.
Quanto ao segundo ítem da pauta, no primeiro momento os depoentes afirmaram que não tinham como investigar o caseiro sem provas de seus depósitos bancários. No dia seguinte à conversa, eles chegaram a fazer uma consulta e confirmaram que sem provas do saldo não haveria como investigar o caseiro. Segundo a Policia Federal, os depoentes também confirmaram ter visto o ex-assessor de comunicação do Ministério, jornalista Marcelo Netto, na casa de Palocci. A PF já expediu intimação para o jornalista na última sexta-feira, mas ainda não o localizou.

A informação sobre Marcelo Netto reforçou o depoimento do motorista Francisco Chagas da Costa, na última sexta-feira. Ele afirmou que viu na garegem da casa de Palocci um carro do mesmo modelo do que o jornalista usa. A assessoria de imprensa da PF informou também que os depoentes disseram que se reportaram ao ministro Marcio Thomaz Bastos sobre o teor da conversa que tiveram na casa de Palocci. Ele disseram ainda na PF que o ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Mattoso, esteve na casa de Palocci na mesma noite em que conversaram com o ex-ministro.

Segundo a assessoria, Mattoso deve ser chamado para depor novamente na Policia Federal. A PF informou que fez contato com o advogado de Mattoso e ele informou que seu cliente está à disposição para voltar a prestar esclarecimentos.