Palmeiras x Botafogo: jogo dos desesperados

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de outubro de 2002 as 23:10, por: cdb

Adversários diretos na luta contra o rebaixamento, Palmeiras e Botafogo fazem um duelo de seis pontos, nesta quarta-feira, no Parque Antarctica.

Os donos da casa apostam no apoio da torcida e na evolução da equipe nos últimos jogos, enquanto os visitantes defendem uma invencibilidade de quatro jogos diante do rival.

“É um jogo decisivo. Não matematicamente, mas psicologicamente e emocionalmente”, definiu Levir Culpi. “Se jogarmos com vontate, confiança e superação, podemos vencer”, completou o treinador do Palmeiras.

Apesar da situação desesperadora de ambas as equipes, Levir Culpi tem razão. Uma derrota não acaba com as esperanças das duas equipes de escaparem do rebaixamento, mas pode ter efeito negativo irreparável na moral dos times.

Último colocado na classificação do Campeonato Brasileiro, o Palmeiras tem 20 pontos em 20 jogos, enquanto o Botafogo possui 22 pontos em 19 partidas.

“Chegou a hora. É confronto direto. Jogamos em casa e temos que vencer”, disse o zagueiro Alexandre, que foi absolvido em julgamento do STJD na última segunda-feira e está liberado para entrar em campo nesta quarta.

Outro que pode reforçar a equipe palmeirense é o meia Zinho. Depois de 12 dias afastado por contusão, ele treinou normalmente nesta semana e está à disposição do treinador.

“Fiquei 12 dias em tratamento. Estou recuperado, mas não estou em minha forma ideal e respeito a opção do Levir. Agora é hora de esquecer qualquer a vaidade pessoal e ajudar o Palmeiras da maneira que for possível”, disse, destacando a evolução do time nos últimos jogos.

“Acho que a equipe está crescendo. Tivemos muitos problemas durante o campeonato, mas agora estamos mantendo um bom nível”, comentou Zinho, lembrando que o Palmeiras não perde há três rodadas.

Artilheiro do clube no Brasileiro, o paraguaio Arce concorda com Zinho e aposta no espírito de superação de seus companheiros. “Reagimos um pouco tarde na competição, mas estamos crescendo e temos tudo para fugir do rebaixamento. Cada um tem que dar um pouco mais, dar o máximo para sairmos dessa”.

Enquanto o Palmeiras deposita suas esperanças na superação e no apoio da torcida, o Botafogo busca inspiração no retrospecto. O Alvinegro não perde do Palmeiras desde fevereiro de 2000 (1 x 3, pelo Torneio Rio-São Paulo), ou há quatro jogos, e venceu as últimas três partidas contra o rival.

Para tentar manter a invencibilidade, o técnico Ivo Wortmann faz mistério. A principal dúvida é no ataque. Lúcio não vem agradando e pode dar lugar a Rodrigão. No meio, Carlos Alberto volta de suspensão e deve entrar na vaga de Romeu.

A defesa, que sofreu sete gols nos últimos dois jogos (derrotas por 1 x 4 contra o Vitória, e por 2 x 3 contra o Fluminense), terá as voltas de Sandro e Allan, que devem entrar nos lugares de Gilmar e Cléberson.

Além do drama da luta contra o rebaixamento, a partida terá outro atrativo. Será a primeira vez que o meia Galeano vai enfrentar o Palmeiras, clube pelo qual atuou por 13 anos, com a camisa do Botafogo.

“Se fizer gol, não vou comemorar. Por respeito ao torcedor e à Sociedade Esportiva Palmeiras”, adiantou o volante, vice-artilheiro do Botafogo no Brasileiro, com cinco gols.

Companheiro de Galeano por muito tempo no Palmeiras, o paraguaio Arce não espera que o amigo alivie contra o ex-clube.

“O Galeano é um guerreiro, um grande amigo. Mas amanhã estaremos de lados opostos, e cada um vai defender o seu lado, já que ambos precisam da vitória. Temos que tomar cuidado com ele na bola aérea”, alertou.

PALMEIRAS x BOTAFOGO

Data: 30/10/2002
Local: Parque Antarctica, São Paulo (SP)
Horário: 21h40
Árbitro: Luciano Augusto Almeida (DF)

Palmeiras
Sérgio (Marcos); Arce, Alexandre, César e Rubens Cardoso; Marco Aurélio, Flávio e Juninho; Nenê, Dodô e Muñoz
Técnico: Levir Culpi

Botafogo
Carlos Germano, Odvan, Sandro e Allan; Bruno, Carlos Alberto, Galeano, Reinaldo e Léo Inácio; Lúcio (Rodrigão) e Ademílson
Técnico: