Palmeiras sai da lanterna da competição

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 5 de outubro de 2002 as 23:07, por: cdb

Finalmente, o Palmeiras saiu da lanterna do Campeonato Brasileiro, mas ainda não deixou a zona de rebaixamento. Jogando em casa, a equipe de Parque Antarctica derrotou a Portuguesa por 2 x 1 e assumiu a 23ª colocação com 15 pontos.

Por outro lado, a Portuguesa acumulou a quarta derrota consecutiva dentro da competição nacional. Com a derrota, a Lusa caiu para 17º lugar, com 18 pontos, e começa a se preocupar com o risco de rebaixamento.

O primeiro tempo foi dividido em dois blocos. Com apoio da torcida que lotou o Parque Antarctica, o Palmeiras iniciou o jogo pressionando a Portuguesa, que atuava sem quatro titulares e vinha de três derrotas consecutivas.

Sem Zinho e Thiago Matias, suspensos, e César, contundido, o Verdão ficava maior tempo com a posse de bola, mas não era eficiente nas conclusões contra o gol de Bosco. Por outro lado, a Lusa mostrava nervosismo e não passava do meio de campo.

A insistência meio desorganizada do Palmeiras foi premiada aos 11 minutos. Após receber lançamento de Itamar, o colombiano Muñoz cruzou para Juninho, que aproveitou o erro grotesco do zagueiro Alex Xavier para abrir o placar.

Engana-se, entretanto, que imaginava que o Verdão teria tranqüilidade para chegar a outros gols, vencer e deixar a lanterna do Campeonato Brasileiro. A partir dos 19 minutos parecia que estava se iniciando outro jogo.

Foi quando a Lusa chegou pela primeira vez ao ataque conscientemente. Logo após escanteio cobrado por Alexandre Gaúcho, a defesa do Palmeiras se atrapalhou e o atacante Alex Alves empurrou para dentro do gol de Marcos.

O empate mexeu visivelmente com os ânimos do elenco palmeirense. A equipe não conseguia tocar a bola com tranqüilidade, como no início da partida. Já a Portuguesa, comandada em campo por Alexandre Gaúcho, se animou com o nervosismo do Verdão e conseguiu criar chances reais para chegar ao segundo gol.

O segundo tempo ficou morno até aos 11 minutos, quando Levir Culpi resolveu mexer na equipe. Com as entradas de Pedrinho e Nenê, o Palmeiras entrou novamente na partida. Em apenas cinco minutos, Nenê e Leonardo Moura tiveram duas oportunidades cada um para desempatar.

De tanto insistir, o time de Parque Antarctica chegou ao segundo gol. Aos 22 minutos, o zagueiro Alexandre desviou a bola depois de cobrança de escanteio do lateral Arce.

O Palmeiras ainda teve oportunidade de marcar o terceiro, quando Pedrinho cobrou falta no travessão, aos 36 minutos. O ex-vascaíno também quase fez um golaço. O meia driblou dois zagueiros da Lusa, mas chutou em cima de Bosco.

PALMEIRAS 2 x 1 PORTUGUESA

Palmeiras
Marcos; Leonardo, Marco Aurélio e Alexandre; Arce, Flávio, Leonardo Moura (Paulo Assunção), Juninho (Pedrinho) e Rubens Cardoso; Itamar (Nenê) e Muñoz
Técnico: Levir Culpi

Portuguesa
Bosco; Alex Xavier, Júnior e César; Ricardo Lopes, Jamir (Rafinha), Rocha, Júlio César (Éder) e Alexandre Gaúcho; Alex Alves e André Pinto
Técnico: Edu Marangon

Data: 05/10/2002 (sábado)
Horário: 16h
Local: Parque Antarctica, São Paulo
Juiz: Luis Marcelo Cansian
cartão amarelo: Alexandre Gaúcho, Alex Xavier Rocha e César (Portuguesa); Marco Aurélio, Muñoz e Flávio (Palmeiras)
cartão vermelho:
gols: Juninho, aos 11 min, e Alex Alves, aos 20 min do primeiro tempo; Alexandre, aos 22 min do segundo tempo