Palestinos vão às urnas na Faixa de Gaza

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 27 de janeiro de 2005 as 10:22, por: cdb

Os palestinos votaram nesta quinta-feira na primeira eleição municipal realizada na Faixa de Gaza, em uma disputa de força entre o presidente recém-empossado Mahmoud Abbas e o grupo militante Hamas.

Milhares compareceram às urnas nas primeiras horas do dia para votar em candidatos que disputam 118 cargos em dez câmaras municipais de todo o território, onde os conflitos entre palestinos e israelenses diminuíram bastante na última semana.

Abbas vem tentando convencer os militantes a acolher um cessar-fogo depois de quatro anos de um levante iniciado em nome da independência palestina. O presidente quer evitar um vácuo de poder na Faixa de Gaza depois de as forças de Israel e os colonos judeus se retirarem dali, neste ano, conforme prevê o plano de “desengajamento” do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon.

O fim da violência é também essencial para a retomada do processo de paz patrocinado pelos EUA e que prevê a criação de um Estado palestino junto com a segurança em Israel. Mas o ministro das Relações Exteriores do Estado judaico, Silvan Shalom, afirmou que a trégua por si só, sem que Abbas adote qualquer medida para desarmar os grupos militantes, não é uma solução.

-Um cessar-fogo é uma bomba relógio que explodirá na nossa cara – disse o chanceler.

O enviado norte-americano à região, William Burns, deve se encontrar com Sharon e Abbas no final do dia para discutir maneiras de avançar.

Preparando-se para uma reunião futura entre os dois líderes, Israel e os palestinos retomaram nesta quarta-feira os contatos diplomáticos entre autoridades de alto escalão.

– A cúpula pode acontecer em torno de 8 de fevereiro se os preparativos se completarem – afirmou uma autoridade palestina.

Na Faixa de Gaza, os palestinos começaram a fazer fila nos locais de votação antes mesmo de a eleição se iniciar. O Hamas e a Jihad Islâmica, que lutam para acabar com o Estado judaico, conseguiram conquistar popularidade durante o levante e ameaçam os esforços diplomáticos liderados por Abbas e a facção Fatah.