Palestinos invadem comissão eleitoral em Gaza

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de dezembro de 2005 as 09:30, por: cdb

Atiradores e policiais palestinos iniciaram um tiroteio em um escritório da comissão eleitoral na Faixa de Gaza, a poucas semanas das eleições parlamentares de janeiro. Militantes ligados ao partido Fatah, do líder palestino Mahmoud Abbas, teriam invadido os escritórios na cidade de Khan Younis e entregaram um outro escritório depois de uma invasão na cidade de Rafah. O líder palestino fez um apelo, pedindo que os militantes colocassem fim aos ataques com morteiros contra Israel. Abbas também deveria ter entregue uma lista unificada de candidatos para as eleições parlamentares de janeiro, para tentar acabar com a divisão interna dentro do Fatah. Os militantes da Brigada dos Mártires de Al Aqsa que invadiram os dois escritórios na Faixa de Gaza afirmam que as operações ocorreram porque eles queriam representação da lista de candidatos do Fatah.

O Fatah tem sofrido divisões internas desde que um grupo de militantes mais jovens, liderados pelo líder da Intifada preso, Marwan Barghouti, se separou do grupo. A facção rival submeteu sua própria lista de candidados para as eleições parlamentares há duas semanas. As tensões se transformaram em violência no início de dezembro, quando três pessoas ficaram feridas em choques na sede do partido na Faixa de Gaza. Segundo correspondentes, as chamadas nova e velha guarda do partido discordam há tempos a respeito de qual direção o Fatah deve seguir. Teme-se que as divisões internas possam levar caos à política palestina e podem até ameaçar o processo eleitoral, afirmam os correspondentes. O grupo Fatah, de Abbas, deve enfrentar um forte desafio do Hamas nas urnas. O Hamas está participando das eleições parlamentares pela primeira vez. A votação de 25 de janeiro será apenas a segunda desde o estabelecimento da Autoridade Palestina em 1995.

O grupo militante Jihad Islâmico já teria rejeitado o pedido de Mahmoud Abbas, para por fim aos ataques com morteiros contra alvos israelenses. O grupo culpou Israel pelo recente aumento na violência. Ocorreram mais ataques aéreos israelenses contra alvos na Faixa de Gaza, na manhã de quarta-feira, mas não há informações de feridos. O Exército de Israel disse que a aeronave atacou estradas de acesso usadas por militantes para disparar morteiros contra alvos israelenses. Grupos armados dispararam morteiros contra Israel desde que os israelenses se retiraram da Faixa de Gaza em setembro.