Palestinos disparam contra comitiva da ONU em Israel

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 21 de novembro de 2006 as 11:06, por: cdb

Militantes palestinos de Gaza dispararam foguetes contra uma cidade israelense nesta terça-feira durante a visita da comissária de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) e feriram uma pessoa com gravidade, disseram testemunhas e funcionários de ambulância.

A comissária Louise Arbour, que está em viagem pelos territórios palestinos e Israel, não foi ferida no ataque contra Sderot. Com isso, aumenta cada vez a pressão da direita sobre o primeiro-ministro Ehud Olmert para que realize operações militares mais fortes em Gaza.

– Os foguetes caíram a algumas centenas de metros de onde estávamos. Ela estava no carro, mas a delegação havia parado quando ouvimos explosões muito fortes. Havia duas colunas de fumaça – disse Christopher Gunness, porta-voz da ONU que acompanhou Arbour na visita à cidade, que é alvo constante de militantes de Gaza.

O serviço de ambulância Magen David Adom disse que um funcionário de uma fábrica ficou ferido com gravidade. Izz el-Deen al-Qassam, braço armado do grupo palestino militante Hamas, disse que lançou os foguetes contra Sderot e que não sabia da presença de Arbour na cidade. Os foguetes foram disparados depois que tropas israelenses mataram um membro do Hamas armado durante conflito no norte de Gaza. Três palestinos também foram feridos por disparos de tanques, disseram autoridades hospitalares.

Arbour, que é canadense, chegou a Sderot a partir da Faixa de Gaza, onde pediu para líderes militares, políticos e de milícias garantirem “o bem-estar de civis” e romperem o ciclo de violência. Na Faixa de Gaza, ela visitou uma cidade onde disparos da artilharia israelense mataram 19 civis palestinos em 8 de novembro. Horas antes do ataque a Sderot, tropas e tanques de Israel lançaram uma ofensiva contra um centro militante palestino na Faixa de Gaza, matando um homem armado durante os conflitos. Uma idosa também morreu, segundo testemunhas e dirigentes hospitalares.

As autoridades disseram que não ficou claro de imediato quem disparou contra a mulher de 70 anos. Uma porta-voz militar israelense recusou-se a dar detalhes sobre a operação. Forças israelenses entraram também no campo de refugiados de Jabalya e Beit Lahiya, no norte da Faixa de Gaza, de onde são lançados foguetes.