Palestinos ameaçam cancelar eleição por decisão israelense

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 21 de dezembro de 2005 as 11:57, por: cdb

A Autoridade Nacional Palestina ameaçou nesta quarta-feira cancelar as eleições parlamentares marcadas para o dia 25 de janeiro se Israel não deixar os palestinos que vivem em Jerusalém votarem. Autoridades israelenses disseram que não vão permitir a votação na cidade, citando o temor de que o grupo militante radical islâmico Hamas possa vencer a eleição. Segundo o ministro palestino da Informação, Nabil Shaath, se não houver votação em Jerusalém “não haverá nenhuma eleição”. As eleições previstas para janeiro seriam as segundas desde o estabelecimento da Autoridade Palestina, em 1995.

Um membro do governo do primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, disse à BBC que o governo israelense havia mudado sua posição desde a eleição presidencial de janeiro do ano passado, quando a votação havia sido permitida. Em um esquema especial de votação no leste de Jerusalém – que Israel anexou e considera sob seu domínio exclusivo, mas que é tido como território ocupado pela lei internacional , os palestinos haviam tido anteriormente a permissão de votar em postos do correio israelenses.

As autoridades israelenses advertiram de que o processo de paz terminará se o Hamas se tornar o partido político dominante entre os palestinos. O estatuto do Hamas prevê a total destruição de Israel, e o grupo tem sido responsável por boa parte dos ataques suicidas dentro do território israelense. O grupo está apresentando candidatos às eleições parlamentares pela primeira vez. Após uma vitória significativa nas eleições municipais na Cisjordânia na semana passada, espera-se que o grupo tenha uma boa votação em janeiro. O Hamas acusa o Fatah, grupo político do presidente palestino, Mahmoud Abbas, de corrupção e incompetência na administração da Autoridade Palestina.