Palestino diz que israelenses estão implicados na morte de Arafat

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de novembro de 2012 as 15:25, por: cdb

As evidências tomadas dos restos exumados do ex-presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP) Iasser Arafat, entre outras provas, indicam a implicação de autoridades do regime israelense em seu assassinato, garantiram nesta terça-feira (27) fontes palestinas.
Durante uma entrevista concedida à emissora de televisão Sky News Arabia, o chefe do comitê de investigação palestino, Tawfiq al-Tirawi, declarou que há evidências de que o ex-primeiro ministro do regime israelense, Ariel Sharon, havia ordenado o assassinato de Arafat durante uma conversa com seu ex-ministro de Assuntos Militares, Shaul Mofaz.

“Temos evidências que apontam no sentido de que Arafat foi envenenado pelos israelenses”, asseverou Al-Tirawi.

Anteriormente, um funcionário israelense havia declarado que as investigações sobre a morte de Iasser Arafat se traduziam em uma declaração de guerra contra o regime de Telavive.

Independentemente do resultado positivo ou negativo da exumação do cadáver de Arafat, a nação palestina e as nações árabes estão convencidas de que o ex-presidente da ANP foi assassinado e, neste sentido, conduzirão mais investigações para esclarecer a causa principal de sua morte.

Um grupo de especialistas franceses e suíços exumaram no dia 27 os restos de Iasser Arafat em Ramalá, na Cisjordânia, com a finalidade de esclarecer as causas de sua morte e confirmar que foi provocada por envenenamento.

Arafat faleceu aos 75 anos em um hospital militar francês, em novembro de 2004, após sofrer uma hemorragia cerebral e entrar em coma.

Fonte: HispanTV

 

..