Países que buscam afastar Europa dos EUA estão no campo “perigoso”, diz Blair

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de março de 2003 as 08:25, por: cdb

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, declarou que a ameaça da França e da Rússia de vetar uma proposta de resolução apresentada por Washington e Londres ao Conselho de Segurança das Nações Unidas aliviaria a pressão sobre o presidente do Iraque, Saddam Hussein.

Blair prometeu trabalhar “noite e dia” para chegar a um texto de resolução que agrade aos membros do conselho, apesar de Paris e Moscou já terem afirmado que usariam seu poder de veto. As informações são da CNN.

Nesta terça-feira, após receber o primeiro-ministro de Portugal, José Manuel Durão Barroso, Blair disse que os países que buscam afastar a Europa dos Estados Unidos estão em um campo “perigoso”.

Ao ser perguntado sobre como chegaria a um acordo sobre uma nova resolução, Blair respondeu: “Se a França ou qualquer outro país disser simplesmente que vetará, independentemente de qualquer coisa, então isso é obviamente uma posição muito difícil”.

“Quando aprovamos a resolução 1.441, exigimos que o Iraque se desarmasse e cooperasse plenamente com os inspetores, e todos, inclusive França e Rússia, aceitam que não há plena cooperação”, acrescentou. “Se concordamos com essa posição, então temos que ir até o fim. Mas espero que não conversemos sobre vetos, e sim tentemos chegar a um ponto comum que nos permita seguir adiante”, declarou ainda Blair, em um programa de uma rede de televisão britânica.

“Se países falam em usar veto em quaisquer circunstâncias, aliviariam a pressão sobre Saddam, e acho que isso seria desastroso”, argumentou.