Ossadas encontradas em São Paulo, que podem ser de desaparecidos políticos, seguem para análise no IML

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de março de 2011 as 14:06, por: cdb

Flávia Albuquerque
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – Na próxima sexta-feira (25), membros do Ministério Público Federal e da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos reúnem-se, na capital paulista, para fazer um balanço dos trabalhos de escavação feitos no Cemitério de Vila Formosa, em busca das ossadas de dois militantes políticos, Virgílio Gomes da Silva e Sérgio Corrêa, desaparecidos durante o período da ditadura militar.

As escavações foram concluídas ontem (23) e as ossadas recolhidas foram encaminhadas ao Instituto Nacional de Criminalística (INC), no Instituto Médico Legal, onde passarão por análises antropológicas. Virgílio Gomes da Silva foi preso por ser um dos líderes do grupo que sequestrou o embaixador dos Estados Unidos Charles Burke Elbrick. Sérgio Corrêa era militante do grupo clandestino de esquerda Ação Nacional Libertadora (ALN). As buscas começaram depois que pesquisas feitas a pedido da família de Virgílio da Silva indicaram que o corpo dele teria sido enterrado, sem identificação, no Cemitério de Vila Formosa, na Zona Leste da capital paulista. Ainda não há data definida para a conclusão das investigações das ossadas encontradas.

Edição: Vinicius Doria

CidadaniaIMLINCMinistério PúblicoVila Formosacemitériocomissãodesaparecidosditadura militar