Orla recebe reforço policial feminino

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 6 de dezembro de 2005 as 11:55, por: cdb

Há duas semanas, as policiais femininas do Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur) são presença marcante, das 9h ao pôr do sol, nos quatro quilômetros de orla entre Leme e Copacabana.

Elas chamam a atenção pela presença, pela beleza e pelo meio de transporte: a bicicleta.

– Estou vendo agora e estou achando ótimo. As mulheres têm capacidade para fazer tudo que os homens fazem, até mais – declarou, confiante, o administrador de empresas Amaro Carpenter, 34 anos.

De bermudas, camisetas e capacetes, elas não deixam barato. Na cintura carregam um cinto com revólver, algemas, spray de pimenta, radiotransmissor e cassetete.

Pedalam prontas para, a qualquer momento, surpreenderem infratores que queiram perturbar o lazer e a paz dos banhistas.

– As policiais estão desempenhando ações de caráter repressivo. Quando desconfiam de alguém, o abordam verificando se a pessoa está portando alguma arma ou algum produto que leve à prática de crime. A intenção é aumentar o número dessas policiais e estender até o Leblon – explicou o comandante do BPTur, tenente-coronel Rogério Lira.

As policias fazem parte da Operação Verão da Polícia Militar em toda a orla do Rio e vêm somar aos quadriciclos e bugres que já atuam na areia, além das viaturas localizadas em pontos estratégicos, policiais a pé, barracas na areia, camêras e motocicletas.

– O policiamento na praia melhorou muito. Antes, não podíamos deixar a bicicleta nem presa no bicicletário que quando voltávamos não tinha mais nada. Hoje, pude deixar a bicicleta na areia e dar um mergulho com tranqüilidade – informou, feliz, Marcelo Otávio Roxo, 32 anos.

Os hotéis da orla de Copacabana e comerciantes da área também apoiaram a idéia, doando os capacetes, além de fornecerem informações sobre assaltos, o que foi muito importante para o planejamento das ações, pois ajudou as policiais ciclistas a darem especial atenção nos trechos onde acontece um maior número de ocorrências.

– O que importa é a atitude. Não faz diferença se são mulheres. A presença dessas policiais inibe, com certeza, o número de roubos na praia – disse, convicto, Lourival Jesus Barros, vendedor de um quiosque no Leme.

As policiais vêm recebendo também o apoio da população.

– O nosso trabalho é essencialmente de prevenção. Evitamos com a nossa presença que os furtos aconteçam. As pessoas nos param nas ruas para nos parabenizar pelo trabalho. Um grande número de senhoras vem nos cumprimentar – contou a policial Gláucia Cozendey Barreto, de 24 anos.