Ordem de construção de moradias para reassentados da BR 448 será liberada em uma semana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 1 de março de 2012 as 15:07, por: cdb

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 1, na sede da Caixa Econômica Federal de Canoas, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SMDUH), informou às empresas vencedoras da licitação de urbanização e construção das casas nas áreas destinadas aos reassentados das obras da BR 448 que, no prazo de uma semana, será autorizada a instalação da obra e marcado um ato para a ordem de serviço. “Nossa intenção é agilizar ao máximo o cronograma das obras para levar essas pessoas para suas residências definitivas. Planejamos entregá-las aos moradores conforme as residências forem ficando prontas”, disse a secretária da SMDUH, Joceane Gaspareto. Estavam presentes na reunião o gerente-geral da agência da Caixa, Marcos de Souza Oliveira; o superintendente substituto do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), Pedro Gomes; a secretária adjunta da SMDUH, Giovana Fagundes; e representantes das duas empresas selecionadas via concorrência pública para execução dos loteamentos e casas.

Parceria

Os três empreendimentos, Canoas Minha Terra, com 175 casas, Canoas Minha Terra II, com 168 casas, e o Morada Cidadã, com 256 apartamentos, abrigarão as cerca de 600 famílias que serão realocadas. Para cumprir os prazos estabelecidos pelo contrato com a Caixa, as duas empresas terão de trabalhar em parceria. “Para que possamos cumprir o cronograma teremos que dividir as obras por quadras. Como cada quadra tem cerca de 40 residências, a cada trecho concluídos as famílias já começarão a ser levadas para o seu local definitivo. Por isso a empresa responsável pela infraestrutura e a construção das habitações terão de coordenar suas ações”, explicou Joceane. Segundo informações prestadas pelas duas empresas na próxima reunião, que deverá ocorrer no mesmo local na próxima quarta-feira, 6, elas já devem apresentar um plano de ação conjunta para a realização das obras.

 

Crédito da notícia: Euclides Bitelo