Operação Lei Seca mobiliza todo o seu efetivo para atuar na noite de Natal

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 as 10:29, por: cdb
Desde que foi lançada pelo Governo do Estado, em março de 2009, até agora, a Operação Lei Seca já evitou que mais de 5,2 mil pessoas morressem ou se ferissem no trânsito.
Desde que foi lançada pelo Governo do Estado, em março de 2009, até agora, a Operação Lei Seca já evitou que mais de 5,2 mil pessoas morressem ou se ferissem no trânsito.

Com o objetivo de fiscalizar e conscientizar motoristas sobre o perigo da mistura álcool e direção, a Operação Lei Seca, da secretaria de Estado de Governo, mobilizará todo o seu efetivo para atuar na noite de Natal. Ao todo, sete equipes estarão empenhadas em prevenir acidentes de trânsito em diferentes pontos do Rio. Cerca de 180 agentes vão participar das ações, que serão realizadas entre 01h e 06h em ruas e avenidas com grande fluxo de veículos.

Segundo o subsecretário de Estado de Governo e coordenador da Operação Lei Seca, Carlos Alberto Lopes, a ação visa a prevenir que acidentes envolvendo motoristas embriagados aconteçam. “Esse é o nosso principal objetivo. Isso vale para o Natal e para o ano inteiro. Queremos que todos aproveitem as festividades com responsabilidade”, disse. Lopes afirmou que as equipes da operação poderão ser deslocadas de acordo com o monitoramento das vias.

Desde que foi lançada pelo Governo do Estado, em março de 2009, até agora, a Operação Lei Seca já evitou que mais de 5,2 mil pessoas morressem ou se ferissem no trânsito. Nesse mesmo período, as blitzes abordaram mais de 385 mil motoristas e foram realizados mais de 365 mil testes com etilômetro. Quase 63 mil motoristas foram multados e mais de 25 mil carteiras de habilitação foram recolhidas.

Lançada em 19 de março de 2009 com o objetivo de reduzir o número de acidentes e de vítimas de trânsito, a Operação Lei Seca é uma campanha educativa e de fiscalização, de caráter permanente, que abrange os bairros da Capital e municípios da Região Metropolitana (Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá) e da Baixada Fluminense. As ações são desenvolvidas nas vias com maior número de acidentes – como é o caso, por exemplo, das avenidas Brasil e das Américas (as duas campeãs de colisões e atropelamentos) – e perto de locais de grande concentração de pessoas, principalmente à noite.