Operação de segurança no Rio é tema de reuniões

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 9 de janeiro de 2007 as 10:56, por: cdb

Representantes da Secretaria de Segurança Pública do Rio e de órgãos federais fazem nesta terça-feira reunião técnica para definir detalhes da Operação Divisa Integrada, de fiscalização das fronteiras dos estados da Região Sudeste. O encontro ocorre às 14 horas, na sede da secretaria. A operação terá a participação da Força Nacional de Segurança no combate ao tráfico de drogas e armas.

Às 16 horas, no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, acontecerá outra reunião desta vez, no Gabinete de Gestão Integrada de Segurança da Região Sudeste. A reunião inaugural do gabinete, formado pelos secretários do Rio, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais, terá a participação dos governadores dos quatro estados.

Na tarde da última segunda-feira a Secretaria Estadual de Segurança Pública do Rio de Janeiro divulgou o planejamento da Operação Divisa Integrada, que será feita em parceria com a Força Nacional de Segurança e outros órgãos federais. A ação será desencadeada até o final de janeiro, em 19 pontos de divisa do Rio com os outros três estados da Região Sudeste.

A operação terá o envolvimento de pelo menos oito órgãos federais e estaduais, além das prefeituras dos municípios de divisa do Rio de Janeiro. Segundo o planejamento, a Força Nacional fará o policiamento ostensivo, dando apoio às polícias Rodoviária Federal e Militar, nos trabalhos de revista de carros e pessoas.

A Polícia Federal e a Civil ficarão encarregadas da parte de investigação e inteligência, dando suporte às outras polícias. As Receitas Federal e estadual fiscalizarão a parte de mercadorias. A idéia é que o Departamento de Transporte Rodoviário (Detro) também apóie as operações, assim como as guardas municipais das prefeituras.

A operação terá como objetivos o combate ao tráfico de drogas e de armas, a redução do roubo de cargas e de carros, impedir a troca de informação entre facções criminosas de Rio, São Paulo e Espírito Santo e dar sensação de segurança à população. Ao todo serão 600 agentes da Força Nacional de Segurança que reforçarão o policiamento. A previsão é que estejam chegando na semana que vem.

Segundo o secretário de segurança do Rio, José Mariano Beltrame, a operação é pontual, mas, para reduzir a criminalidade, são necessárias ações mais profundas do Estado, como intervenções na área social.

– A Força Nacional, ou qualquer outra força, virá e terá uma atuação no Rio de Janeiro e em qualquer outro estado pontual, cirúrgica e específica para uma determinada demanda. Por outra ótica, temos que ver que há necessidade de medidas e mudanças estruturais. Não será a Força Nacional ou qualquer outra força que resolverá o problema – explicou.

A secretaria de segurança também anunciou um novo esquema de policiamento na Linha Vermelha, uma das principais vias expressas usadas por turistas no Rio de Janeiro, que liga o Aeroporto Internacional Tom Jobim à zona sul da cidade. Segundo a Polícia Militar, o efetivo de policiais destacados para patrulhar a via será duplicado, chegando a 80 homens em cada turno de oito horas.