ONU suspende distribuição de alimentos na Bolívia

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 17 de outubro de 2003 as 15:07, por: cdb

A ONU alerta que interrompeu toda a distribuição de alimentos à população boliviana. Nesta sexta-feira, em Genebra, as principais agências das Nações Unidas alertaram para o fato de que a violência tornou a ajuda alimentar “impossível” na maior parte do país. A única região que continua recebendo alimentos é a de Tarija.

Segundo a ONU, a falta de segurança impede que se abram os armazéns onde está estocado o alimento que normalmente é distribuído pela entidade à população mais pobre. “É perigoso circular em La Paz”, afirmou uma porta-voz do Programa Mundial para a Alimentação. Segundo ela, a ONU considera a Bolívia como o país mais pobre da América Latina, onde um terço da população vive em condições de extrema pobreza.

Por enquanto, a assessoria da ONU releva que conseguiu estabelecer uma distribuição de emergência apenas para o hospital central de La Paz. Mesmo assim, a perspectiva é de que nem isso ocorra nos próximos dias. A agência de alimentos da ONU conta com 30 funcionário na Bolívia, e três deles são estrangeiros.

Nesta sexta-feira, um grupo de cerca de 30 pessoas invadiu a embaixada boliviana para a ONU, em Genebra. A ocupação foi pacífica e durou cerca de uma hora. Os manifestantes exigiriam o fim da violência contra a população e a renúncia do presidente Gonzalo Sánchez Lozada.